Wallis e Futuna

União Sonora-Democrática de Wallis e Futuna
Uhuuuuuuuu
Wallis e Futuna
Bandeira
Brasão
Bandeira Brasão
Lema: UHUUUUUUUUUUUU
Hino nacional: Destination Unknown nown nown...

Localização de Wallis e Futuna

Capital Mata-Utu
Cidade mais populosa Dance City
Língua Baladês
Religião oficial Dancismo
Governo Dançante
 - Produtor Kasino
Heróis Nacionais Sidney Magal
Área  
 - Total 546 km² 
 - Água (%) 0
Analfabetismo 75%, eles só decoram as letras das músicas 
População 10.000 
PIB per Capita Possuem 85% de todas as gravadoras de dance do mundo 
IDH -89 
Moeda Vodka
Clima de festa
Website governamental vagalume.com.br


União Sonora-Democrática de Wallis e Futuna é um conjunto de ilhas da Oceania especialmente povoadas para abrigar baladeiros e DJs. As ilhas todas nunca param de fazer baladas, estão na mesma festa desde 1616 quando foram descobertas.

A cada criança que nasce lá é designada uma tarefa ao nascer. Vários empregos são oferecidos pelo governo futuano, como DJs, dançarinos, strippers, bartenders, estilistas, músicos, limpadores de telefone e etc.

HistóriaEditar

 
Típico prédio brilhante das ilhas.

As ilhas foram descobertas por dois amigos retardados e baladeiros, Kevin Dance Wallis e John Mix Futuna. Os dois viviam na França e, de tanto barulho causado pelo seu som, foram amarrados a um navio qualquer e jogados em alto mar, junto com todos os seus amigos e amigas retardados pelo governo francês. À deriva, chegaram às ilhas e começaram a montar seu império sonoro.

Antes da chegada dos catatônicos, a ilha era habitada por um único povo: os forrozeiros. A chegada do som alto e música internacional desencadeou uma guerra que durou 25 minutos; de um lado os forrozeiros atacando com suas sanfonas e seu hino "CALIPSOOOOOOOOOO" e do outro os baladeiros, com suas luzes ofuscantes, amplificadores e seu grito de guerra no dialeto local anglo-futuano, "I'm blue da ba dee da ba da". A batalha foi um completo fracasso, pois antes do confronto dormiram por 2 horas por motivos desconhecidos, mas os baladeiros venceram pois, quando acordaram, notaram que todos os forrozeiros haviam sido devorados por andorinhas.

Fatos atuaisEditar

Atualmente a maioria dos cidadãos de Wallis e Futuna padece por falta de sono, doenças sexualmente transmissíveis, obesidade, cirrose, malária e bicho-de-pé. Mas o corno e presidente da ilha miando Latino Kasino já declarou que é só uma breve fase de mudança de equipamentos e logo tudo voltará ao normal, negando o fato de que a cada 25 minutos, 274 pessoas na ilha vão parar nos hospitais pós-balada, uma verdadeira crise de saúde pública. Mas claro, apenas mudanças, pode confiar.

EconomiaEditar

A economia de Wallis e Futuna é bem variada, varia entre variações e variedades. Mas o que predomina mesmo são as diversidades que pra falar a verdade são bem diversas: a ilha exporta amplificadores, microfones, luzes de boate, músicas dance, DJs, cadarços de tênis, cantadas, bebidas alcoólicas, pessoas que gritam, buzinas e sonoridades em geral.

Recentemente a ilha está em negociação com a Tchéquia para a venda de um lote de strippers, ou animadoras de festa por assim dizer.

SociedadeEditar

 
Primeiros vestígios de civilização da ilha

A sociedade futuana é dividida em castas: a comunidade pobre que não tem dinheiro pra boate, a comunidade média que contenta com bailes mixurucas e a comunidade rica que... bem, tem dinheiro.

A comunidade pobre são aqueles que interditam as ruas e fazem a balada na rua usando carros com som alto, bebidas alcoólicas feitas em casa pela tia e CDs todos riscados. Geralmente esses bailes não duram muito, pois a polícia logo aparece e joga spray de pimenta em todo mundo.

A comunidade média são aqueles que vão aos bailes mixurucas ou seja, cerveja aqueles bailes com bandas da própria cidade cantando sempre as mesmas músicas. Nesses bailes as bebidas alcoólicas também são mixurucas, como cerveja Baumdemais e vodka Ruimzovski, as bandas são sempre as mesmas como Mamonas Assassinas, Raimundos, Engenheiros do Hawaii, Legião Urbana, Raul Seixas, Jovem Guarda e a maldita música do Balão Mágico, esses bailes também não duram muito pois a cada 10 minutos há 15 brigas.

A comunidade rica são aqueles que tem dinheiro para ir às boates, chamam todos os seus amigos mentalmente confusos e contratam DJs, o que é extremamente desnecessário pois durante todo o baile só toca RBD, High School Musical, músicas dances velhas escolhidas pelos pais (só para eles falarem pros outros pais "óia, isso tocava no meu tempo e eu arrebentava na pista"), e também músicas emocore. Geralmente também contratam bandas que não aguentam aquela porra e só ficam 10 minutos e vazam.

CulturaEditar

A culinária de Wallis e Futuna oferece sanduíches e bebidas alcoólicas, preparadas com carinho pelos pais dos baladeiros antes das festas, com batida de suco de morango e álcool adicionado com conta-gotas. A indústria cinematográfica consiste naquelas montagens feitas no Windows Movie Maker com som meloso no fundo para lembrar os velhos tempos que há em todo baile de aniversário, todos dormem durante esses vídeos de 3 horas e só acordam pra bater palma no final fingindo que assistiram. Em suma, a sociedade de Wallis e Futuna é bem parecida com a brasileira.

Oceania
v d e h

Países: AustráliaEstados Federados da MicronésiaFijiIlhas MarshallIlhas SalomãoIndonésiaKiribatiNauruNova ZelândiaPalauPapua-Nova GuinéSamoaTimor-LesteTongaTuvaluVanuatu

Territórios: GuamHavaíIlha ChristmasIlhas CookIlhas Marianas do NorteIlha NorfolkIlha de PáscoaIlhas de PitcairnIlha WakeNiueNova CaledôniaPolinésia FrancesaSamoa AmericanaTokelauWallis e Futuna