Sakura Wars V: So Long, My Love

Virtualgame.jpg Sakura Wars V: So Long, My Love é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Joanna Dark mata o ET Elvis acidentalmente (ou não).

Sakura Wars: So Long, My Love (japonês: Sakura Transei V ~Sabiá Atochado no Regu~) é o quinto jogo canônico da franquia Sakura Wars, e o único a ser lançado fora do Japão, pelo menos legalmente, mas claro que os pirateadores de plantão devem ter dado um jeito de trazer clandestinamente a série toda.

サクラ大戦V 〜さらば愛しき人よ〜
Sakura wars so long my love cover.jpg

Capa da versão americana do jogo.

Informações
Desenvolvedor Sega
Publicador Sega
Ano 2005
Gênero Bishoujo
Plataformas PS2, Wii
Avaliação 8
Classificação indicativa Todas

Obviamente, o jogo não teria a menor chance de fazer sucesso em outros países com um título escroto japonês, então foi ocidentalmente renomeado para "Sakura Wars: So Long, My Love", muitas vezes tendo a letra V (que representa o número 5 em algarismos romanos caso você não saiba, seu burro) removida, pois ninguém conhecia Sakura Taisen e tampouco fazia qualquer ideia de que existiam outros quatro jogos além desse, tudo no melhor estilo Final Fantasy antigo.

Embora seja considerado uma sequência oficial, STVSIHY (para encurtar) não traz de volta nenhum dos personagens originais, o que não faz muito sentido, já que Sakura é o nome da protagonista oficial, tornando o título do jogo completamente enganador e inválido. Mas lembrando novamente que os jogos anteriores não foram lançados fora do Japão, portanto isso não faz a menor diferença.

HistóriaEditar

O personagem central é o marinheiro japonês Shinjiro Taiga, que é promovido ao cargo de tenente e transferido de Tóquio para Nova York, onde será o novo responsável pela divisão local de combate, seja lá que porra for essa. Ele é sobrinho de Ichiro Oogami, o herói do jogo original, mas ao contrário do tio, que é um homem ponderado e sensato, Taiga se comporta feito um moleque babaca que não aceita ser contrariado, o que obviamente lhe trará certos problemas ao longo do jogo, já que foi escalado para liderar uma equipe formada apenas por mulheres.

JogabilidadeEditar

Embora muitas vezes lembre mais um RPG tático, STVSIHY é um simulador romântico, ou seja, o principal objetivo do jogador é fazer com que Taiga se relacione da melhor forma possível com as personagens femininas, o que significa sair e dar uns bons amassos em cada uma delas. Antes que você pergunte, não rola sexo, pois isso aumentaria a faixa etária a quem o jogo é destinado e traria um enorme prejuízo financeiro internacional à Sega, famosa no ocidente por seus joguinhos fofos do Sonic.

Apesar de ficar galinhando durante o jogo inteiro, no final Taiga precisa se decidir entre uma única personagem, que será a sua namorada definitiva. Lembrando que são todas inéditas. Eis as opções disponíveis:

  • Gemini Sunrise - Caipira burra vinda do Texas que sonha em ser atriz.
  • Sagiitta Weinberg - Advogada negona que no passado foi líder de uma gangue de motociclistas rebeldes.
  • Rikaritta Aries - Pirralha mexicana lolicon que se diz cantora e dançarina, mas na verdade é uma caçadora de recompensas.
  • Diana Caprice - Médica incompetente que mal consegue andar e vive deprimida, dedicando sua vida (ou o que resta dela) a observar os pássaros.
  • Subaru Kujo - Atriz japonesa de família rica que curte se vestir de homem e causar dúvidas quanto a sua sexualidade (logo, deve ser da Takarazuka).
v d e h