Parque Nacional de Khangchendzonga

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Parque Nacional de Khangchendzonga (também podendo ser alternativamente grafado como Kangchenjunga, Kangchendzönga ou Kanchenjunga... é nenhum facilitou, mas pode ser pronunciado apenas como "Khadnujfjfbjdgzonga") é supostamente uma reserva ambiental Sikkim, embora só existam montanhas lá, é aquele típico lugar sem graça e isolado que nem o Globo Repórter se atreve a visitar.

O local é habitado pelo povo lepcha, uma espécie de capiais só que em versão indiana e geralmente analfabetos, no meio do Himalaia, mesmo tendo porra nenhuma por lá, em 2016 a UNESCO declarou o local um patrimônio mundial cultural e natural.

O parque prolonga-se pelo Tibete onde é chamado de Qomolangma e pelo Nepal onde chamam de Kanchenjunga, mas a Índia odeia qualquer coisa de fora de suas fronteiras, nem os convidou para fazer parte do patrimônio mundial.

GeologiaEditar

 
Uma montanha cheia de florzinhas tentando aparecer mais que o famoso mas estéril Monte Kangchenjunga ao fundo.

Na beirada da reserva localiza-se o Kangchenjunga, a terceira maior montanha do mundo, que como tal nunca é lembrada,a té porque com este nome indigesto é covardia alguém ter que decorar isto. A reserva localiza-se na beirada do Himalaia, basicamente servindo de casa de verão para o yeti.

Uma formação relevante é o famoso glaciar zemu, o maior picolé feito de água doce do mundo, totalmente em sabor de esgoto de Gangtok, que inclusive dá origem ao rio Tista.

EcossistemaEditar

Como uma reserva ambiental, apesar de estar nas montanhas, a área reserva uma variada flora de floresta decídua temperada (árvores sem graça e nada diversificadas), com uma paisagem composta por carvalhos, abetos, bétulas, acers e até salgueiros.

A fauna é basicamente toda composta por animais ameaçados de extinção, afinal eles vivem em Sikkim e não tem como sair dali. O animal mais raro é o lepcha, uma espécie de caipira indiano que tem a cara amassada e não é mais tão avistado na região. Outros animais incluem o ciadinho-peidorreiro, o tar-himalaio (que isso?), mas o animal mais marcante é o raro panda-vermelho que até hoje ninguém sabe se é um urso, um esquilo, uma fuinha ou só uma pelúcia de alta tecnologia, e também o seu predador, o leopardo-das-neves que ninguém vê e já deve ter sido extinto. Alguns outros animais engraçados que sofrem bullying devido à algumas características físicas são o urso-beiçudo, o carneiro-azul (que nem é azul, mas é zoado mesmo assim) e o takin que por ser um carneiro obeso também sofre bullying.