Odoacro

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM DESCICLOPÆDIA!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS HVMORISTICVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg
Odoacro se sentando para descansar após abolir o Império Romano

Ah, Flávio Odoacro. Sem dúvida o personagem mais odiado pelos italianos, professores de história e fãs de filmes épicos, por pôr uma pá de cal no Império Romano do Ocidente e desencadear séculos de decadência bárbara. Fora isso, ele não teve muitos feitos notáveis. Foi um one hit wonder.

BiografiaEditar

Filho de Edecão, quando criança Odoacro não gostava de tomar banho. Devido ao seu aroma azedo que espantava todas as princesas, foi sendo conhecido entre os príncipes da Europa como Odor Acre, que virou Odoacre, que virou Odoacro. Um monge que passava por ali notou o jovem alto, mal vestido e mal lavado, e previu que ele teria um grande futuro.

Alcançando a maioridade, Odoacro iniciou a carreira no único lugar que tava empregando na época, o Império Romano. Aí não deu pra continuar fedido, teve que se lavar pras entrevistas de emprego. Foi colocado no comando de uns exércitos de mercenários germânicos sem importância e estava contente com isso, mas quando seu chefe mudou para um mais mala, Odoacro se revoltou.

Odoacro virou líder sindicalista e liderou uma das greves mais efetivas da história da Europa, tão efetiva que derrubou o novo patrão, o jovem e inexperiente Rômulo Augústulo. Começava uma nova era no continente, para tristeza de todos os patrícios: os bárbaros tinham chegado na parada, olê olê olá.

Reino de OdoacroEditar

 
Odoacro se gabando

Odoacro resolveu chamar seu novo país de Itália, mas fora isso, traiu os sindicatos sendo um rei conservador. Queria um reinado sem muito stress e por isso manteve todas estruturas no lugar, assegurando a fidelidade da aristocracia, do Senado e da Igreja, felizes de continuarem com os cargos comissionados no governo.

Para não dizer que não fez nada de bom enquanto rei, Odoacro passou a bater nuns cachorros mortos ali em volta e assim conquistou a Sicília, Dalmácia e a Croácia, dando ao Reino da Itália seu primeiro gostinho de expansão. Mas quando começou a encostar nos ostrogodos e no Império Bizantino, a coisa foi ficando preta.

Nisso o imperador de Bizâncio e atleta do Corinthians, Zenon, ficou com invejinha dos recentes sucessos de Odoacro e convenceu seu parça Teodorico a derrubá-lo, com uma generosa oferta de cargo na política e muita bufunfa. Aí não teve como recusar, Doriquinho estaria feito na vida. Juntou então seus exércitos black emo-góticos germânicos e sitiou a Ravena; após quarenta e dez dias de impasse, Teodorico convidou o rival para um amigável churrasco.

Mas para o azar de Odoacro, a especialidade do dia era rei empalado. Ted matou Odoacro com as próprias mãos, ou melhor, com uma peixeira e foi de Doriquinho a Teodorico, o Grande, o conquistador da Itália.

Ver tambémEditar

v d e h
Os bárbaros vêm aí... Olê olê olá!