Abrir menu principal

Desciclopédia β

Maomé

(Redirecionado de Mohammed)
Aviso importante: Fanatismo religioso aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa com suas crenças, seja você cristão, muçulmano, judeu ou pagão. Seja engraçado e não apenas idiota.
Judeu0.jpg Cadê o moedinha?

Este artigo é judeu! Ele odeia palestinos, foi escolhido por Javé e não come lagosta porque é caro e anti-kosher. O autor deste artigo provavelmente é contador e deve estar cuidando da lujinha.

CriancaHomemBombaArabe.jpg الله وحده هو الله وهتلر رسول الله

Maomé é Muçulmano! Isto significa que ele(a) acredita em Alá, Maomé e no Gênio da Lâmpada, além de adorar se explodir.
Este artigo foi trazido por Muhammad e seu autor é membro da Mesquita Universal.

Donramontaliban.jpg

"Vai tomar no cu", em árabe
Brimo, este artigo é árabe!
Certamente, o autor louva Alá e come esfirra, sem dar ré no quibe.


Maomé conduzindo seus fiéis ao encontro das 72 virgens.

Cquote1.png Fumei muito Haxixe... Cquote2.png
Maomé ao avistar o Anjo Gabriel.
Cquote1.png Allah Hu Akbar! Cquote2.png
Osama Bin Laden estuprando uma americana qualquer.
Cquote1.png Vamos fazer uma cruzada contra o terrorismo. Cquote2.png
George Bush contra o terrorismo da Terra Média.
Cquote1.png Não fale cruzada, isso não se fala no Acre e na Terra Média Cquote2.png
Maomé sobre palavra cruzada.
Cquote1.png Maomerda! Cquote2.png
Dercy Golçaves quando perguntaram sua opinião sobre maomé.
Cquote1.png Vou te comeeer, vou te comeeer! Cquote2.png
Majin boo maomé quando vê o traseiro de uma cabra.
Cquote1.png Vi Maomé cair na Terra de joelhos. Cquote2.png
Raul Seixas sobre Maomé

Maomé, ou Muhammad (Meleca, 1º de Abril de 570 — Medina, 8 de Junho de 632) foi um corno líder, ditador e filho da puta político árabe. Ah, e também é o criador da desreligião islâmica.

O Maomé era filho de um beduíno ladrão criador de cabras com uma judia que ele sequestrou desposou segundo os costumes de sua tribo.

O Maomé começou sua vida profissional aos 12 anos como aprendiz de salteador; seu bando operava nas estradas entre Medina e Meca, atacando incautos que se arriscavam a viajar sozinhos e pequenas caravanas, vendo que este modus operandi não o ia fazer rico, logo organizou um grande bando para assaltar grandes caravanas e obter grandes lucros, apoderando-se das mercadorias e pessoas que ele vendia como escravos para o Egito, que estavam precisando de mão de obra para construir umas pirâmides, uma mania nacional egípcia.

Tudo ia bem, com o Maomé todo ano colocando mais uma linha na aba de bens em sua declaração anual de imposto de renda, quando uma operação da Polícia Federal denominada قبض على اللص (pega ladrão, em tradução livre do árabe) desbaratou a organização criminosa do Maomé, no entanto, por ainda ser menor de idade acabou indo passar uns dias na Fundação CASA, de onde fugiu, pois, sabia mais do que todos os criminosos menores infratores de lá, pois tinha em mente que todos são a média das 5 pessoas com quem mais convivem, ou seja, tinha que se escafeder logo de onde estava sob o risco de não levar a cabo seu plano de ser extremamente rico e poderoso profeta.

Errando em busca de fortuna e notabilidade, o Maomé, aos 25 anos, encontrou-se com uma velha rica e viúva de um negociante sírio, e após aplicar uma conversa nela conseguiu ser nomeado seu procurador, passados uns dias, a velha rica se casou com ele por procuração, morrendo repentinamente a seguir.

Maomé, muito rico então, passou a se dizer que tinha sido escolhido pelo Alá como o seu maior profeta e que todos o deviam obedecer sem ele ter de pagar por isso. Cobrado por um milagre, já que dizia ter boas relações com O Altíssimo, narrou ele um milagre que, apesar de ridículo em sumo grau, todos acreditaram após várias rodadas de arak de qualidade duvidosa, contendo maís álcool do que anis. O Maomé disse que lhe tendo caído um pedaço da lua em sua manga, ele a soube fazer voltar a seu lugar após alguns salamaleques; é, por isso que os seus seguidores tomaram por insígnia a meia lua.

Porém, a vida é uma caixinha de surpresas, e numa bela manhã de sol, como diria o Joseph Climber, o Maomé passou a ser conhecido como um perturbador da ordem por ter o hábito de não pagar suas contas, assim, segundo as leis antigas, seus concidadãos trataram de dar-lhe morte; sabendo disto o astuto Maomé fugiu para Medina, para dois anos depois voltar com uma horda de ladrões e viados amigos seus que o ajudaram a se apoderar da cidade e a se auto-proclamar o maior profeta de todos os tempos após uma eleição fraudada que ele promoveu para tal, isso tudo lá pelo ano de 622, se não me falha a memória.

Após tomar uma carraspana homérica, ou de Homer Simpson não sei, Maomé teve, segundo suas palavras, uma revelação: escrever a Desciclopédia, que ele chamou provisoriamente de Al Corão, A Revelação em tradução transliteral.

Mas, tem um problema, o Alcorão está cheio de contradições, repetições e absurdos. Não sabendo Maomé escrever, ajudaram-no em sua obra um judeu e um monge apóstata da Pérsia chamado Sérgio que, por não terem sido pagos, deixaram a primeva enciclopédia livre de conteúdo sem qualquer revisão.

Seguidores. Como o maometismo favorece a libertinagem teve prontamente muitos sequazes; e como pouco depois se visse seu autor à frente de um formidável exército de bandidos, o Maomé pode com suas conversas fiadas e ainda mais com suas armas introduzi-lo em quase todo o Oriente, realizando o seu sonho de ser extremamente rico e poderoso profeta.

Enfim, o fim. O Maomé depois de ter reinado nove anos tiranicamente, morreu na cidade de Medina no ano 632, maís ou menos, após comer sozinho um porco cozido com ervas envenenadas por sua mais nova esposa Safiyah, só porque ele destruiu o seu vilarejo, torturou e matou todos os que não serviam para serem escravos, e entregou as suas irmãs maís novas para os seus soldados se divertirem.

Índice

PapelEditar

 
Maomé no Paraíso.

Para os muçulmanos, Maomé foi precedido em seu papel de profeta por Jesus, Moisés, Davi, Jacó, Isaque, Ismael e Abraão entre outros nomes de judeus pão-duros. Como figura política, ele unificou várias tribos árabes, usando seu muito comum método da porrada e cortando cabeças com espadas.

VidaEditar

 
Maomé como referências atuais...

Maomé (também conhecido como Maomé Al Biba Mor) pertencia ao clã do lorde das bichas , por sua vez integrado na tribo dos coraixitas ("tubarão"). Era filho de Mohamma-Ho-Lin-Habbar e de uma jumentinha (disse que ia enrabar e enrabou mesmo). Seu pai faleceu pouco tempo antes do seu nascimento, deixando à esposa como herança cinco camelos e uma escrava, o que mostrava como era muito pobre.

Entre as famílias de Meca existia na época a tradição de entregar temporariamente as crianças às famílias beduínas que viviam no deserto, sendo esses, pedófilos torturadores profissionais, para "executarem" suas habilidades nas crianças, que voltavam completamente "espiritualizadas" com o verdadeiro espírito do oriente médio muçulmano: recalcadas, loucas e depravadas. Acreditava-se que uma temporada de vida no deserto prepararia melhor a criança para a vida adulta nos padrões muçulmanos, ou seja, tornando-a um intenso assassino, ferrenho e insaciável homossexual neurastêmico/ninfomaníaco por ocidentais de olhos claros. Em troca desta adopção temporária, os beduínos recebiam presentes dos habitantes de Meca, seus presentes favoritos: capim fresco, milho, alfafa e lavagem, sendo essa última a mais comum, pois naquele miserável lugar, capim, milho e alfafa eram vendidos a preço de diamante. Apesar das limitações economicas,sua mãe entregou Maomé aos cuidados de uma ama-de-leite.

Meca era nesta altura uma cidade-estado no deserto, onde se encontrava um santuário conhecido por Caaba ("Cubo") administrado pelos coraixitas. A Caaba era venerada por todos os árabes. Nela se encontrava a Pedra Negra e uma série de ídolos, representações de deusas e de deuses, dos quais se destacava o deus Michael Jackson e Sylvia Saint. Durante a adolescência Maomé foi sao paulino e teria também acompanhado o seu tio em expedições comerciais à Síria. Muito corno inseguro, vivia desconfiado das parceiras que teve. Por causa disso que em suas leis existem muitos mandamentos que restringem a liberdade das mulheres. Tanto é que sua esposa-mirim Aixa, depois de ver que uma mulher tinha apanhado tanto que a carne acabou ficando verde, exclamou que não tinha visto nenhuma mulher sofrer tanto quanto as mulheres crentes (no islã). Na verdade ele pegou esta ideia de Moisés que também era corno inseguro.

O casamentoEditar

 
Maomé, possível Osama do Islão.

Por volta de 595 Maomé conheceu Cadija, uma viúva rica de 40 anos de idade. Foi o grande golpe do baú. Como ficou rico de repente, aprendeu a escrever, ou não, para poder mais tarde chatear todo o mundo com o Alcorão, e também pôde se casar diversas vezes, tendo entre nove e onze esposas, mesmo tendo permitido aos seus seguidores apenas quatro. Alguns dizem (ainda bem que eu não sei e não tava lá pra confirmar) que ele tinha a força de trinta homens e amolava sua espada em todas as suas esposas numa única noite, tomando apenas um banho neste período.

Maomé foi um membro entusiasta do clube dos loucos encartados e ajudou na resolução de disPutas, e tornou-se conhecido como o maluquinho da aldeia.

O profetaEditar

Não é considerado pelos muçulmanos como um ser divino, mas sim, um ser humano; contudo, ele é visto como um dos mais perfeitos entre os seres humanos, e com isso ele se achava o próprio Deus (humilde a santa!!! uii!!). Nascido em Meleca, Maomé foi durante a primeira parte da sua vida um mercador que realizou vários roubos e enganos com as pessoas, um estelionatário. Os muçulmanos acreditam que em 610, quando Maomé tinha quarenta anos, sendo um grande pedófilo da cidade foi atacar uma pobre menininha de seis anos numa das cavernas. Mais tarde curtindo a ressaca na Cracolândia tomou uma "overdose" e começou a sonhar com o anjo Gabriel que lhe ordenou que recitasse uns versos enviados por Deus. Outros dizem que Gabriel era um famoso Ricardão e pederasta da cidade que tendo pegado Maomé por trás o obrigou a inventar este besteirol todo em troca de uma dose extra de cocaina!

 
A famosa caricatura de Maomé

. "Mas sem perder a ternura jamais!"

Maomé não rejeitou completamente o judaísmo e o cristianismo, duas religiões monoteístas já conhecidas pelos Árabes. Em vez disso, informou que tinha sido enviado por Deus para restaurar os ensinamentos originais destas religiões, que tinham sido corrompidos e esquecidos. Claro, outra lorota pregada já tendo em vista o lucro futuro e também o futuro hobby de cortar cabeças.

No começo, enquanto o profeta (المسيح الدجال) simplesmente anunciava seu sincretismo bizarro sua religião, os habitantes de Meca não tiveram problema nenhum. Porém, quando ele começou a ridicularizar os deuses dos politeístas e as tradições do povo de Meca, e isso durou mais de uma década, rejeitaram a sua mensagem e começaram a perseguí-lo por trás. Em 622 Maomé foi obrigado a abandonar Meleca, numa migração conhecida como a Hégira (Hijra), ou Engata, tendo se mudado para Medina.

Nesta cidade, Maomé tornou-se o chefe da primeira comunidade muçulmana homossexual, com isso Maomé decidiu se fortalecer formar legiões para combater todos os povos e Dominar o Mundo, algo que nem o Pinky e o Cérebro conseguiram em mais de mil reprises da série animada em todo o mundo.

No entanto, para tanto resolveu inaugurar o primeiro "Habib´s" e começou a enfiar kibe em todo mundo.

Segundo alguns especialistas, a nova religião nasceu do aborrecimento: o deserto é como a praia, mas sem mar, e sem mulheres boas em bikini. Não havia televisão e não houve engenho suficiente, na época, para inventar o futebol de praia. Foi então que, segundo a tradição, para animar as coisas, Maomé pensou em desatar à pancada com as tribos em redor. Abaixo a monotonia! Foi uma festa daí em diante. Após as batalhas, fazia-se fóki fóki com as mulheres e filhas dos inimigos e comia-se também (isto no outro sentido do verbo comer) tudo o que eles tinham nos frigoríficos.

 
Maomé inventou o Islão, a Religião de Pás

Resta um mistério ainda por desvendar pelos mais encarniçados historiadores: O Islão é conhecido como a Religião de Pás, muito embora o forte dos árabes não fosse a construção civil e muito menos a agricultura, embora gostem muito de grelos.

Visita de Estudo ao InfernoEditar

Quando ainda se encontrava em Meca, Maomé efectuou uma visita de estudo ao Inferno. O caso aconteceu assim: estava Maomé a passar pelas brasas no seu pequeno quartinho alugado, quando sentiu um bater de asas. Era o Gabriel, um sujeito alado, que tinha poisado no parapeito da janela e estava a alisar as penas com o bico.

Gabriel trabalhava em part-time como anjo na firma Allah Incorporated, e tinha um segundo emprego como pombo-correio - naquele tempo as comunicações eram péssimas.

Disse ele para Maomé: "Anda, tens uma visita guiada aos Infernos hoje". "Mas vamos como?" - perguntou o Profeta. "Vamos no Buraco". O Buraco, de seu nome inteiro Buraco Negro, era uma espécie de mula mágica, com cara de mulher e grandes asas. Entre os amigos, era conhecida como o Buraquinho.

Foi assim que durante a noite daquele dia viajaram até ao Inferno. Lá chegados verificaram que os pecadores sofriam que se fartavam, mas não era muito grave, pois a maioria dos habitantes do inferno eram mulheres que tinham refilado demais com os maridos. Benfeita!

Depois encontraram Deus, disfarçado de farol de nevoeiro, que determinou que os fiéis dali em diante tinham de rezar de rabo para o ar cinco vezes por dia. É claro que Maomé achou a posição muito perigosa, mas por amor a Deus tudo se faz. Depois voltaram a Meca e já nessa altura a cabeça de o Profeta até fumegava pelas orelhas com novas ideias. Por exemplo, a fim de evitar que as mulheres continuassem a ir para o Inferno, começou a metê-las dentro de sacos, com uns furinhos para os olhos; está provado que assim o Pecado não entra. O desgosto foi grande entre muitos dos seguidores da nova religião, que gostariam que o vestuário das mulheres fosse mais esburacado, essencialmente em locais aprazíveis abaixo da cintura.

JingleEditar


Olha a cabeleira do Zezé
Será que ele é?
Será que ele é?

Será que ele é bossa nova?
Será que ele é Maomé?
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é.

CuriosidadesEditar

 
Maomé e Jesus.

Fontes recentes revelam que Maomé:

  • Era muçulmano.
  • Teve uma (só?) amante.
  • Acreditava que era deus.
  • Era turco.
  • Era judeu.
  • Era mestiço. (?!)
  • Não tomava banho.
  • Era barbudo.
  • Não gostava do PT mas usava uma barba igual a do Lula.
  • Era baixinho como o Lula com apenas 1,49cm, e, ambos iniciaram as suas fortunas roubando sindicatos e sindicalizados.
  • Andava sempre arrastando uma cabra para por a culpa nela quando peidasse.
  • Era analfabeto de pai e mãe.
  • Tinha como principal inimigo Lord Tenebrian, que lutou contra Mahomé para difundir o Gothicismus no oriente.
  • Era a cara do Osama com o Khomeini.
  • Gostava de puxar fumo no seu narguilê.
  • Fez diversas profecias enquanto passeava pelo Acre.
  • Até hoje ninguém sabe como ele chegou lá, já que o Acre não existe.
  • Gostava de soltar a franga para seu amigo Alhazred.
  • Gostava de viadinhos com carinha de anjo, andava sempre com um de nome Gabriel.
  • Gostava de usar camisola o dia todo, mas à noite preferia usar baby-doll.
  • Escondia a careca enrolando uma toalha na cabeça, na falta de uma toalha usava uma fralda de pano, às vezes ele não percebia que ela não estava limpa.
  • Escreveu a primeira versão da Desciclopédia que chamou provisoriamente de Corão.
  • Gostava do Freddie Mercury.
  • Queria visitar uma montanha.
  • Era bem estranho.
  • Era gilete.

Que Fim Levou?Editar

Maomé, após ser um ditador cruel e sanguinário com os seus seguidores, morreu extremamente rico com o que conseguiu angariar de forma lícita e ilícita, sendo esta última a principal fonte de sua riqueza.

Apesar de tudo o que acumulou, sua morte foi vergonhosa, e mostrou para o mundo o imbecil falso profeta que ele foi. Após dizer que mulheres são doentes mentais e declarar guerras contra judeus e a tomar banho, aceitou comer um delicioso cozido de porco oferecido por uma mulher judia com quem ele casou a força para provar que era espada de uma cidade que ele havia acabado de conquistar e destruir. Provavelmente, Alá estava num cochilo depois de brincar com suas 72 virgens e não pôde avisar a Momô a tempo que a carne estava envenenada. O pedófilo Apóstolo de Alá morreu alguns anos depois de uma sequela do envenenamento, declarando que O Compassivo, O Misericordioso, O Alah cortou-lhe a aorta (!!!), justamente a punição que o próprio Momô havia previsto caso ele fosse um falso profeta (!!!).

Popularizou-se o apelido Maomé no mundo islâmico pelos seus fãs. Os islamistas são muitos supersticiosos, acreditam que dar o nome de Maomé aos filhos dará a mesma sorte no dinheiro que o Maomé teve. Na verdade o nome verdadeiro do Maomé era Abul, ele se apresentava como Maomé para confundir a polícia da época enquanto dava no pé com os seus bandoleiros levando a pilhagem que fazia nos mercados públicos. Assim, Maomé entrou para a história como o nome mais famoso do Oriente Médio.

Após a sua não curta vida, viveu 63 anos, um recorde para a época, o Maomé subiu aos céus por causa do veneno que uma doente mental (mulher) colocou na carne que ele comeu suas próprias forças para gozar das 72 virgens a que tinha direito, governar a criação e dar conselhos ao Alá, mas, há controvérsias quanto a ele ter subido para os céus, as virgens não serem tão virgens, alguns dizem que a maioria era traveco, se não todas, e o Alá querer compartilhar o seu governo e muito menos ouvir conselhos de um beduíno sujo, fedorento, desdentado, viado rabugento, mentiroso e ladrão.

Ver tambémEditar