Dingo Pictures

Dingo Pictures faliu!
Cows1.jpg Nem a Apple quita suas dívidas!

Outros que ficaram no vermelho.

Dingo Pictures Media Concept Productions foi o pior crime da Alemanha contra a humanidade após a Segunda Guerra Mundial. Era um estúdio de animação vagabundo no estilo da Vídeo Brinquedo, mas inacreditavelmente conseguia ser ainda pior, contando com apenas duas pessoas responsáveis por fazer todo o serviço.

HistóriaEditar

 
Alguns dos personagens totalmente originais da Dingo Pictures.

Não há informações concretas sobre o ano de fundação da Dingo Pictures, mas seu primeiro filme foi lançado em 1992, uma adaptação horrorosa do mito de Perseu que é frequentemente acusada de ser uma tentativa de plágio do Hércules da Disney, embora este tenha surgido somente em 1997. Ou seja, na verdade a Disney é quem copiou a Dingo Pictures!

Os criadores e proprietários do estúdio eram um casal alemão formado por um músico e uma escritora que não tinham o menor talento para desempenhar suas funções, portanto nunca eram contratados por ninguém. Sendo empreendedores à frente de seu tempo, os pombinhos decidiram abrir sua própria empresa para divulgar seu trabalho ruim, então pegaram carona na mesma fórmula adotada naquela época pela Goodtimes: copiar os filmes de animação da Disney com uma qualidade visivelmente inferior.

Se os mockbusters da Goodtimes tinham baixo orçamento, os da Dingo então não deviam ter orçamento nenhum, tamanho era o amadorismo. Os traços dos personagens pareciam ter sido desenhados por uma criança em fase de pré-alfabetização copiando ilustrações da Disney com uma folha sulfite em cima. O nível da animação então nem se fala, era mais duro e travado que a bosta entalada nas tripas da velha que ficou 20 dias sem dar uma bela de uma cagada. A dublagem original em língua alemã contava com apenas duas vozes, que eram justamente do casal dono da bagaça. O ponto alto dos filmes supostamente deveria ser o roteiro e a trilha sonora, já que os caras eram profissionais nestas áreas, mas nem isso salvava.

A Dingo Pictures ficou ativa no mercado de entretenimento infantil até 2005, ano de sua falência, pois não conseguiram acompanhar a evolução da animação em computação gráfica. Mesmo assim, suas obras de arte continuaram sendo exportadas mundo afora pelos anos seguintes.

DistribuiçãoEditar

Ousada, a Dingo Pictures fechou parceria com distribuidoras americanas para comercializar sua filmografia nos Estados Unidos. Foi o próprio casal fundador que se responsabilizou por adaptar as obras para a língua inglesa, inclusive a dublagem, o que explica a pronúncia muitas vezes incompreensível e a quantidade escassa de vozes. Sabe-se lá porque caralhas, a maioria dos filmes recebeu lançamento em forma de jogos para PlayStation 1 e PlayStation 2, sendo que a parte jogável consistia apenas em quebra-cabeças e imagens para colorir que eram reles screenshots das cenas. As versões que saíram diretamente em DVD são consideradas raras, mesmo sendo vendidas no camelô e custando 1,99.

O Brasil também foi agraciado com estes belos filmes, com DVDs que vinham encartados em revistinhas de banca. Boa parte deles pode ser encontrada completa no YouTube atualmente. O surpreendente é que pelo menos a dublagem em língua portuguesa presta, com elenco formado por dubladores famosos de São Paulo.

Ver tambémEditar