Dez Tribos Perdidas

As Dez Tribos Perdidas referem-se a Cinco Dez Patinhos israelitas que foram passear além das montanhas do Império Neoassírio para brincar e nunca mais voltaram mesmo com a mamãe gritando quá quá quá quá. O destino desse povo todo é incerto, embora existam lendas e tradições judaicas da Cabala e até mesmo uns povos que alegam serem descendentes de algumas das tribos perdidas, como uma turminha da Índia chamada de Bnei Menashe (filhos de Manassés em linguagem de are baba) ou os samaritanos (esses últimos se perderam de novo séculos depois), além de uma pá de outros povos que juram serem parentes dos judeus, só não sei o que que eles ganhariam com isso.

HistóriaEditar

 
E foi assim que elas sumiram.

As tribos do norte de Israel (Rúben, Simeão - um povinho que fugiu de Judá -, Issacar, Zebulom, , Naftali, Gade, Aser, Efraim e Manassés - do leste e do oeste) se separaram do resto do reino (que além de Judá ainda tinha Benjamin Arrola) e formariam o Reino de Israel separadinho do Reino de Judá. Mesmo vivendo em eterno clima de treta entre irmãozinhos que um não queria dizer que o outro tava errado, vez por outra se juntavam mais ou menos pra enfrentar inimigos em comum e panz.

Até que um dia o Reino de Israel se junto ao Reino da Síria Antiga querendo o cu do rei de Judá, um fracassado chamado Acaz. Acaz, cagadinho de medo, pagou uma laminha pro rei da Assíria Tiglate-Pileser III, o Pul, que passou a piroca no rei da Síria Rezim e no rei Peca de Israel, começando o cativeiro de Israel, muito embora diga-se que bem antes disso, ainda no reinado de Jeroboão II todas as partes transjordânicas do reino de Israel já tinham sido surrupiadas pelos assírios. No reinado de Oséias foi quando Sargão II raspou o que sobrou de Israel do Norte pra si, destruindo a capital do reino, Samaria, e levando o que restou de israelita com eles, deixando no lugar arameus e povos de outras regiões da Mesopotâmia, embora digam que também colocaram de volta um tantin de gente que manjava de religião dos israelitas, porque diziam umas lendas contidas em II Reis da Bíblia que a terra tava ficando puta com tanta reza pra uns deuses estranhos a elas lá, e Jesus Negão tava punindo geral. Pois é daí que nasceriam os samaritanos, e também o início de uma caçada aos que supostamente seriam os filhinhos das dez tribos que sumiram num passe de mágica do universo.

LendasEditar

No livro de Tobias (que existe na Septuaginta - a tradução grega dos escritos judeus "antigo testamento" - e em bíblicas católicas romanas e ortodoxas) supostamente o tal Tobias e seu pai Tobite viviam no Império Neoassírio, sendo parte dos cativos das tribos do Norte. O problema é que esse livro faz uma mistureba anacrônica monumental, chamando os caras as vezes de caldeus (o que na verdade remontaria ao império neobabilônico) e os nomes dos reis tudo lembrando os reis gregos do Império Selêucida, enfim, uma bagunça que torna esse livro como todos da Bíblia uma bela fantasia igual as histórias de teu pai dizendo que iria comprar cigarros e nunca mais voltou.

Vários outros povos alegam serem descendentes das tribos perdidas, sem contudo deixar claro de que parte específica seriam, isso inclui o Império Mogol, os pachtuns afegãos e paquistaneses, uma turma da Caxemira, um monte de outros judeus hindus, além de terem se espalhado até por outros reinos como na China, no Japão, na África, os Maori, e, dizem uns malucos aí que até na América pré-colombiana, uma teoria que entretanto já vinha de uns missionários doidos como Thomas Thorowgood e outros de 1650 que os Cherokees sabiam como traduzir a Bíblia só em olhar pra ela pra linguagem deles, algo que invés deles pensarem só que os caras tinham sei lá, mutação ou magia negra, disseram "ah, eles devem ser descendentes sei lá, da tribo de Levi!"

Se essas teorias aí tiverem algum fundo de verdade, esse povo de Israel é igual pandemia, se espalharam pra caralho pelo mundo afora viu.

Não, eu não sou nazista nem adepto do antissemitismo, juro!

Ver tambémEditar