Desnotícias:Presidente da Câmara de Piracicaba decreta o fim da liberdade de culto na cidade

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

PIRA E SE ACABA, Spam Pá Uol

Em imagem cedida gentilmente pelo Jornal de Piracicaba, se mostra a forma digna e respeitável com a qual são tratados todos aqueles que não cederem aos preceitos estabelecidos de forma inconstitucional em lei pela Câmara Municipal da Cidade em seus caprichos coronelistas.

O presidente da Câmara da cidade de Piracicaba, em sessão solene e com apoio unânime de todos os outros vereadores da casa, aprovou um projeto endossado por Olavo de Carvalho, pela Opus Dei e por outros grupos religiosos decretando o fim da liberdade de crença e de culto na cidade, sendo obrigatório pela lei que todos os cultos na cidade sejam de acordo com os dogmas cristãos ditados pela YMCA.

Na prática, isto significa que em todas as sessões ordinárias e extraordinárias realizadas na Câmara da cidade, se torna obrigatória a oração dentro dos padrões pré-estabelecidos pela casa, sendo que todos aqueles que eventualmente não cumprirem com o estabelecido serão tirados de dentro da Câmara Municipal e levados para a delegacia, respondendo processo por Desacato.

Há informações de que a lei já chegou a ser aplicada na prática na cidade, fazendo com que as pessoas tenham medo de protestar por absurdos como os aumentos no ordenado dos vereadores e no número de vagas eletivas, por medo de sofrer uma reprimenda proveniente dos coroneis ditatoriais que se acham no direito de fazer o que bem entendem nessa cidadezinha "simpática" do Interior Paulista.

Consta-se ainda que a OAB teria entrado com representação contra a lei e contra os abusos de autoridade por conta da Câmara da cidade, pedindo inclusive o enquadramento do vereador que preside a câmara por improbidade administrativa e por danos morais ao funcionário repreendido pelo abuso de poder ocorrido.

FontesEditar