Bragasil


Cquote1.svg Você quis dizer: Ana Maria Braga Cquote2.svg
Google sobre Braga (Portugal)
Braga é uma cidade localizada no norte de Portugal. É também chamada de Roma Portuguesa por ter sido fundada na época do Império Romano, Cidade dos Arcebispos por ter a maior concentração de igrejas da Europa, aproximadamente 535 por quilómetro quadrado, Br4g4 por ser no máximo a quarta cidade mais importante de Portugal, Marrocos Lusitano dentro dos desportos ou Bragasil devido à grande concentração de imigrantes brasileiros. É a capital do distrito homónimo, mais uma prova de que o português não tem criatividade alguma para nomear suas subdivisões, além de capital do distrito histórico do Minho e uma capital histórica de Portugal, de acordo com seus habitantes.

Cidade de Braga
"Cidade dos três pês: padres, putas e paneleiros"
Informação geral
Hino: Vma canção pimba, só qve com a letra em latim para parecer mais cvlto
Código Postal MMMMDCC
Código Municipal BRG
Aniversário Varia de acordo com a pessoa qve você pergvntar, pois ningvém nvnca deu vma data exata, porqve já faz mvito tempo. Mas a norma é sempre citar vma data anterior à citada pela pessoa qve respondev primeiro
Fundação Depende da pessoa qve tv pergvntares, mas sempre é em algvm ponto da história antes de Cristo
Gentílico Brácaro
Bracalhau
Braguilha
Marroquino
Lema Vma frase aleatória em latim
Apelidos Cidade dos Arcebispos
Roma Portuguesa
Capital da Juventude
Capital do Minho
Número Quatro
Penico do Céu
Cidade dos 3 Ps
Presidente da Câmara Municipal O Arcebispo local, isso se o Mesquita Machado tiver mesmo largado a presidência da CM e não for o Arcebispo
Orago São Geraldo de Braga
Site oficial Não tem. Como a letra W não era vtilizada pelos romanos, verificov-se impossível digitar a VRL
Localização
Região NUTS II Norte
Sub-região NUTS III Reino Suevo
Distrito Braga
Província histórica Galécia
Municípios limítrofes Barcellvs
Magnvs Famalicvs
Vimarania
Lagnosvs
Amares
Vila Verde
Distância da capital do distrito Capital do distrito homônimo
Distância de Lisboa Dois milênios
Nível na Escala de Toxicidade Social 1
Características geográficas
Área total 183,4 vnidades romanas de medida de área km²
Número de habitantes 100 mil legionários, 92 mil crvzados católicos e 10 mil zvcas 300 a.C.
Idioma Português brasileiro
Latim
Pronúncia do Norte
Clima Chvvoso
Economia
PIB per capita "Oh, per capita é uma expressão romana, e já mencionamos que os romanos fundaram Braga?" 30 a.C.

Etimologia do nomeEditar

A cidade originalmente se chamava Bracara Avgvsta, escrita com v no lugar do u porque assim fica mais fácil para tentar enfiar na mente dos incautos que a cidade tem herança romana.

  E por falar nisso, já disse pra vocês que Braga foi fundada na época do Império Romano?  
Um bracarense sobre absolutamente qualquer coisa

Após a queda de Roma, o nome foi abreviado pelos locais para apenas Bracara, já que era difícil falar o nome original com v no lugar do u, chegando ao nome Bragara na época dos suevos, quando os habitantes da antiga Lusitânia descobriram que a letra G podia ser pronunciada no dia-a-dia sem punição divina, e ganhando o nome actual após a cidade ser reconquistada dos muçulmanos em meados do século XI.

HistóriaEditar

Supostamente, Braga surgiu pouco após o Big Bang, fazendo dela a cidade mais velha de Portugal, de acordo com o mesmo propagandista do Estado Novo que criou outros mitos regionais sem fundamento como a inexistência da corrupção na época. Mais tarde, tipo, uns dois bilhões de anos depois, foi uma das cidades da província romana da Lusitânia, onde era um centro secundário em relação a Portus Cale e Olissipo, ou seja, o papel que a cidade tem desempenhado (bastante mal) nos últimos dois mil anos. Após as invasões bárbaras, foi tornada capital do Reino Suevo, que mais tarde seria absorvida pelos visigodos, relegando Braga novamente ao estado de cidade secundária. Por volta do ano 800, foi conquistada pelos muçulmanos, sendo reconquistada, reconstruída e repovoada de acordo com os preceitos cristãos pouco (para os padrões locais) tempo mais tarde, apenas para ser saqueada alguns anos depois, porém tornar-se-ia capital do Condado Portucalense até meados do século XII, até que as cortes portuguesas acharam a renda cara demais e se mudaram para Guimarães, e depois para Coimbra, já que os efeitos da especulação imobiliária na cidade já se estendiam às cidades ao seu redor naquela época.

  Antes de nascer Portugal, já Braga era capital  
Bracarenses sobre tentar convencer os outros que Braga é ou foi algo além de capital de distrito

Mais tarde, a cidade teve uma disputa de poder religioso com Santiago de Compostela, a qual perdeu feio a ponto de ter os restos de seu santo roubados e só recuperados quase oitocentos anos depois. Por causa disso, teve uma picuinha com o Vaticano e passou um século tentando apagar todo o legado romano que na cidade existia. Já no século XX, foi onde começou a revolução o golpe de estado que resultou em 48 anos ininterruptos de ditadura para Portugal, e onde a depredação do patrimônio construído pelos romanos terminou, pois com Fátima já tendo peregrinações em massa por causa dos milagres lá ocorridos, Braga havia ganhado uma rival à altura no turismo religioso e precisava diversificar esta área, o que levou ao governo do Estado Novo voltar a glorificar o passado romano da cidade, nomeando-a como a primeira cidade portuguesa.

EconomiaEditar

A economia de Braga consiste-se do turismo que os romeiros fazem às suas igrejas. Braga é considerada capital do comércio português exactamente por causa da capacidade de seus vendedores enganarem romeiros com quinquilharias.

TransportesEditar

Para saber como é o trânsito em Braga, leia mais no nosso manual de sobrevivência.

Desde a época romana, Braga já era uma paragem de bigas conhecida, com várias estradas que incluíam funcionalidades modernas, como estações de serviço e portagens, razão pela qual a Geira era infame já naquela época, pois tinha sido a primeira via privatizada do mundo.

O serviço de autocarros é conhecido por suas paragens cheias de obras de arte como graffitis de claques de futebol ofendendo-se umas às outras, em uma escala miniaturada das obras de arte presentes nas estações do Metro de Moscou. Também existe o serviço de táxis onde todas as viaturas são obrigadas a transmitir a Radio Renascença nos seus rádios, sob pena de prisão, e os papamóveis. O trânsito de automóveis particulares em Braga é amplamente desencorajado, devido ao fato de que nenhum bracarense sabe conduzir um veículo automotor, fazendo com que a câmara municipal tivesse que contratar motoristas de Barcelos e de Guimarães para serviços vitais como as ambulâncias ou as viaturas da polícia.

 
Acredite: isto é só a ponta do iceberg de maus exemplos ao volante que acontecem em Braga

O aeródromo local é usado apenas por aeronaves pequenas e particulares, já que para qualquer outra coisa, o Porto está a 50 quilómetros.

Era planeado que Braga teria uma estação no projecto abortado de TGV português, que foi abortado exactamente porque nas simulações os trens nunca conseguiam travar a tempo e sempre passavam da estação de Braga. A rede ferroviária de Braga é única no mundo pelo fato de que é mais rápido percorrer dois mil quilómetros em direção a Paris, que exige a travessia de duas fronteiras nacionais, do que vinte em direção a Guimarães, que fica a literalmente um pulo de distância.

GeografiaEditar

A cidade é cortada pelo Rio Cagado. Faz limites com cidades diversas, desde aquelas que não têm nenhuma relevância histórica, até locais cuja população é obcecada com galináceos, vive em um culto à própria personalidade ou tem a existência questionada por todo o resto do Minho.

FreguesiasEditar

Como todas as suas vizinhas, Braga contém muitas freguesias cujos nomes são inteligíveis apenas para seus moradores, incluindo um monte de locais entre parênteses que só servem para confundir ainda mais a cabeça dos visitantes, mas que servem como mecanismo de defesa em caso de uma eventual invasão dos vizinhos, ou pior, dos avecs mais religiosos.

  • Aquele, São Pedro e São Umamerde
  • Arentim e Cunha
  • Ataúde
  • Braga (Maximinos, Sé e Cividade)
  • Braga (São José de São Lázaro e São João do Souto)
  • Braga (São Vicente)
 
Dois corvos fofocando no brasão da freguesia de São Vicente, retratando a única alternativa de diversão para os habitantes daquela freguesia
  • Braga (São Vítor): Há quatro locais chamados Braga em Braga, para que os invasores se confundissem sobre qual Braga tomar.
  • Cabrões e Passos (São Julião): Uma freguesia tomada de Barcelos após 1841. Não que eles fossem sentir falta…
  • Celeirós, Aveleda e Vimieiro
  • Cepos e Pousada
  • Escudeiros e Penso Higiénico (Santo Estêvão e São Vicente)
  • Espinho
  • Esporrões
  • Ferreiros e Gondizalves
  • Figueiredo
  • Gualtar: a cidade universitária per se
  • Guisande e Oliveira (São Pedro)
  • Lamas
  • Lomar e Arcos
  • Merdelim (São Paio), Paranoias e Parada de Tibães
  • Merdelim (São Peido) e Frouxos
  • Mire de Tibães
  • Morrerá e Tranqueiras
  • Nogueira, Fraião e Lamaçães
  • Nogueiró e Tensões
  • Palmerda
  • Pedralva
  • Priscos
  • Pudim de Desgraça
  • Real, Dume e Semelhe
  • Ruilhe
  • Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra
  • Sebosa
  • Cegueira: outra freguesia roubada de Barcelos na cara dura.
  • Sobrebosta: Nomeada pelos habitantes locais por estar localizada em uma altitude maior do que a parte de Guimarães com a qual faz fronteira.
  • Tadim
  • Vilaça e Fradelos

ClimaEditar

O clima da cidade é geralmente chuvoso, com trezentos e sessenta e cinco dias anuais de chuva, mesmo psicológica, o que levou a cidade a receber a alcunha de penico de Portugal, pois já tinha a sanita da nação ao lado. No entanto, Braga não recebe as alterações climáticas presentes na cidade vizinha, até porque está demasiado ocupada chovendo.

 
Uma semana extremamente rara em Braga: normalmente chove nos sete dias

Fauna e FloraEditar

A fauna bracarense é vasta, variando desde Galos de Barcelos na parte oeste da cidade até cavalos-vapor na parte leste. A pesca do cocó é praticada às margens do Rio Cagado.

DesportoEditar

Apesar de ter dois estádios, um que foi construído para o Euro 2004 em cima de uma pedreira apenas porque estava sobrando dinheiro e o outro estádio que é mais utilizado pelos vizinhos (quando recebem punições por mau comportamento da claque) do que pelo próprio clube da cidade, Braga não tem uma equipa de futebol local, sendo representada apenas por uma filial do Benfica. Fora isto, o único clube desportivo local é o clube de hóquei cuja única função é levar ferro do Barcelos, às vezes sim e às vezes também. No entanto, o automobilismo é o desporto favorito da cidade, com modalidades como o acidente automobilístico ornamental e o arremesso de si mesmo. No entanto, o autódromo local é considerado o trecho de estrada mais seguro da cidade, exactamente por ser utilizado no máximo dez dias por ano.

 
Um exemplo de praticante do arremesso de si mesmo, a modalidade desportiva mais popular entre os habitantes de Braga

  Pelo amor de Deus, voltemos pro 28 1º de Maio  
Um adepto do SC Braga sobre o estádio onde quer ver sua equipa a jogar

 
O mal fadado Estádio Municipal, cujos custos ainda estão crescendo e provavelmente nunca serão pagos por inteiro

PolíticaEditar

A política em Braga consiste de ex-eleitores do PS convertidos em eleitores do PSD (o registo na JSD é feito junto com a matrícula na UMinho para os que vem de fora), uma parte considerável de eleitores do CDS-PP que ainda não morreram de velhice, um punhado de eleitores do PPM (isso ainda existe?), um outro punhado que ainda acha que estamos na época do Salazar, outro punhado que ainda acha que Portugal é uma monarquia, outro punhado que acha que Portugal ainda é um condado e um punhado que pensa que o Império Romano sobrevive até os dias atuais, só que com outro nome.

O presidente da câmara municipal, chamado de Imperator Ad Eternum na constituição municipal, é Mesquita Machado, desde 1983. Como ele já está bastante velho, a UMinho planeja fazer clones dele para que Braga seja governada por Mesquita Machado por toda a eternidade, ou até mais se for possível.

EducaçãoEditar

A educação, como tudo que existe em Braga, gira em torno da mão de ferro que a Igreja Católica tem sobre a cidade. A única instituição de ensino laica da cidade é a universidade local, chamada de Universidade de Braga localmente, mas de Universidade do Minho pelo resto dos portugueses, com a excepção dos vizinhos vimaranenses, que deram o nome de Javard ao campus da UMinho presente naquela cidade. A primeira universidade privada de Portugal nasceu em Braga, obviamente chamada de Universidade Católica Portuguesa. Os alunos da UMinho são únicos em Portugal no fato de que seu traje académico inclui uma bermuda e um chapéu de forma bizarra, fazendo com que a praxe académica em Braga fique mais humilhante conforme o aluno acumula matrículas.

ReligiãoEditar

O catolicismo é a religião de estado dentro da cidade, mesmo esta não sendo uma cidade-estado. Outras religiões menores incluem o ódio contra tudo o que vem da cidade vizinha ao leste e o ódio a Santiago de Compostela por ter roubado os restos mortais do santo padroeiro local. Os bracarenses são conhecidos pela frequência na qual procissões e romarias são feitas, pois qualquer coisa é motivo para uma procissão a uma das mil e oitocentas igrejas da cidade.

Pontos turísticosEditar

  • Arco da Porta Nova: Esta era para ter sido a porta de entrada para o centro de Braga, mas o orçamento acabou no meio da obra e a porta nunca veio. Daí vem o costume do povo local de sempre deixar a porta aberta até mesmo na casa de banho.
  • Estádio Municipal: Mais uma prova de que só porque algo é bonito, não significa que seja bom: até mesmo o SC Braga odeia jogar naquele local, já que é horrível para chegar e venta como um furacão categoria 5 dentro do campo.
  • Santuário do Bom Jesus do Monte: A escadaria mais longa da Europa, com aproximadamente vinte mil degraus para uma diferença de altitude de mil duzentos e cinquenta metros. A ideia original era baptizar a igreja como Santuário do Bom Jesus do Monte Everest, mas, como Portugal nunca chegou a conquistar o Himalaia, tiveram que se contentar com um monte menor, ou seja, o ponto mais alto da cidade.
 
Na dobragem portuguesa d'Os Cavaleiros do Zodíaco, os cavaleiros de bronze tinham que subir o Santuário do Bom Jesus do Monte para salvar Atena, fracassando miseravelmente após três dos cinco cavaleiros quebrarem as pernas depois de escorregarem no quinto lance de escadas. Exatamente por isso, a saga de Hades nunca foi dobrada em português de Portugal
  • Torre de Ménage: onde os nobres do antigo Condado Portucalense se reuniam para bacanais, às vezes com membros do clero envolvidos. Único remanescente do antigo castelo da cidade, demolido por engano em 1906 quando os técnicos franceses destinados a destruir o castelo de Guimarães erraram o caminho e acabaram por destruir o castelo da cidade vizinha.

DemografiaEditar

Um dos apelidos de Braga é Capital da Juventude, pelo fato de sua pirâmide etária ser similar a de alguns países africanos. No entanto, isto não se deve ao fato de nascerem muitas crianças em Braga, mas sim pelos conventos terem muitas crianças para serem exploradas pelos padres locais.

Cerca de 10% da população é de migrantes, incluindo brasileiros, brasileiros que acham que são portugueses, portugueses que acham que são brasileiros, portugueses que ainda não sabem que são brasileiros e cidadãos de dupla nacionalidade que ainda não decidiram se querem ser portugueses ou brasileiros.

CulturaEditar

O principal evento da cidade, que acontece com periodicidade aleatória, é a escolha de um novo arcebispo. Tal prova consiste em fazer todos os que têm a intenção de se tornarem arcebispos subirem as escadarias do Santuário de Bom Jesus do Monte, e a primeira pessoa que alcançar o topo do santuário ou o último sobrevivente deste processo é eleita como arcebispo da cidade. A prova costuma durar de dois a três dias, dependendo da quantidade de chuva que cai na cidade e o quanto as escadas estão escorregadias, já que, para dificultar ainda mais o processo, a escadaria é feita com base na calçada portuguesa. O recorde desta prova foi alcançado em 1124, quando um arcebispo cujo nome se perdeu na história conseguiu, de acordo com as lendas locais, completar o percurso em doze horas, pois o dia estava nublado. Tal lenda é considerada como um mito popular pelos historiadores, já que é impossível que haja um dia em que esteja apenas nublado em Braga.

Maio representa o período das festas académicas na cidade, com o Esmagamento da Rata. Nesta festa alcooldémica, os alunos fazem o velório de um rato gigante que é queimado na porta da Sé de Braga, e depois disso passam uma semana inteira a pinar e fazer outros atos profanos.

Junho é época das festas de São João, onde, ao contrário das festas juninas brasileiras, tudo o que se faz é uma procissão religiosa.

Outro evento famoso em Junho é o Braga Romana, onde a cidade volta dois mil anos no tempo para recordar seu passado romano e tirar sarro dos vizinhos que ainda não saíram do século XII.

Braga na cultura popularEditar

  • Carmageddon foi desenvolvido originalmente como um simulador para ser utilizado nas escolas de condução bracarenses.
  Conheça também a versão oposta de Braga (Portugal) no Mundo do Contra: