Cquote1.svg Você quis dizer: Attack on Titan Cquote1.svg
Google sobre Vore
Vore (丸呑みフェティシズム), as vezes chamado de Vorarefilia é um dos inúmeros fetiches escrotos inventados pelos usuários doentes mentais de sites de degenerados como 4chan e DeviantArt, tratando-se de uma subespécie menos violenta do canibalismo que consiste em um personagem, geralmente maior, literalmente comendo um outro personagem qualquer sem sequer mastigar o coitado, o que deve ser algo difícil de fazer, sendo este distúrbio mental uma mistura bizarra de sexo e comer capim pela raiz.

Obviamente os "praticantes" desse fetiche não o praticam, simplesmente porque é impossível de se praticar, apenas escrevem e leem hentai dessas porras, ou seja, são em sua maioria exclusiva otakus virgens e furries semi-virgens (porque geralmente estão com o cu arrombado de tanto enfiarem coisas ali). Essas pessoas por definição são dementes com gravíssimos problemas psiquiátricos e portanto não possuem qualquer conhecimento básico acerca de biologia, física e anatomia, sendo que para eles o corpo humano é apenas uma borracha oca.

IntensidadesEditar

Soft VoreEditar

  Eu pratico essa porra.  
Lobo Mau

É aquele tipo de mastigamento que geralmente aparece em alguns desenhos animados. Para tentar dibrar a censura, alguns personagens simplesmente engolem outro sem qualquer aparição gráfica de sangre (como se ver um personagem sendo engolido vivo e inteiro já não fosse algo bizarro). Fica apenas subentendido que a vítima virou presunto na barriga do "comedor", embora muitas vezes ocorram pegadinhas do Mallandro e o comedor cospe a vítima fora sem quaisquer sinais de digestão, simplesmente por não gostar dela.

Hard VoreEditar

  Meu secretão.  
Tahm Kench sobre seus inimigos

É especialmente o contrário da situação acima pois une vore ao gore, ou seja, é a situação mais próxima de algo anatomicamente correto dentre todas sub-variações de vore, pois aqui os corpos não são apenas borrachas ocas mas também possuem alguns músculos, carne e sangue, embora o estudo de anatomia não seja o forte dos fãs desse fetiche, então ainda não se vê ossos, no máximo umas vísceras.

Imminent VoreEditar

Um tipo de vore que é feito por desenhistas que não gostam desse fetiche mas se viram forçados a abordá-lo. No caso o desenho vai até apenas alguns segundos antes da vítima ser engolida e/ou comer capim pela raiz.

Post VoreEditar

O contrário da situação acima, onde também pode ser feita por desenhistas que não gostam desse fetiche grotesco, mostrando apenas quando a vítima já está na barriga do comedor ou comedora. É o tipo menos escroto de vore, mas ainda não deixa de ser bem escroto quando você percebe que o sistema digestivo do comedor é só uma bolsa de borracha que molda sua barriga, ignorando a diferença entre estômago, intestino, função do fígado, etc.

Post Vore ScatEditar

As vezes o pós-vore vai muito além. Estamos falando de pessoas doentes mentais desconectadas com o mundo real e desprovidas de qualquer sensação mínima de nojo por coisas obviamente repugnantes, então nesta modalidade de vore completamente nojenta, a vítima já foi digerida e foi transformada em pedaços de fezes, que podem ser graficamente representada por pedaços duros de cocô, ou então diarreia liquefeita, como forma de ilustrar se a digestão foi confortável ou não.

TiposEditar

Oral VoreEditar

É o tipo comum de Vore, no qual o predador simplesmente engole a vítima por possuir uma boca enorme, sendo este o tipo mais comum e menos escroto do que os relacionados abaixo. Há vários que dizem ter tentado fazer isso burramente no mundo real, mas foram confundidos com canibalismo.

Anal VoreEditar

  Adoooooooro!  
Mr. Slave sobre Anal Vore
É um dos tipos mais comuns de Vore (pelo menos pelos furries) e um dos mais escrotos, onde esse tipo surgiu no desenho South Park, onde a mesma era o secretão do personagem Mr. Slave, no qual consiste em uma forma mais escrota que o vore tradicional, onde o personagem em vez de tentar engolir alguém pela boca, simplesmente coloca sua cavidade anal na cara de alguma pessoa ou uma tentativa de tesourinha que dá errado, e faz a mesma sumir no corpo do "comedor" ou "comedora".

Absorption VoreEditar

  ...  
Cell sobre Absorption Vore
É uma versão um pouco mais escrota que as relacionadas acima, que consiste de um personagem tentar fazer uma das duas acima, mas dá tudo errado e no processo, a mesma acaba absorvendo a forma da vítima. Costuma ser feito com personagens gosmentos ou que tenha algum tipo de poder relacionado a isso.

Esse tipo tem muito a ver com a Soul Vore, que é simplesmente a mesma merda relacionada acima, só que de forma mais esquisita que a Absortion Vore, onde dessa vez, a mesma se alimenta da alma da vítima. Costuma ser feito por fantasmas ou por pessoas que se alimentam de almas.

Auto VoreEditar

Se a própria Vore não fosse esquisita o bastante para os furries, os mesmos inventaram uma forma de piorar melhorar esse fetichismo, no qual consiste de uma pessoa, comendo a si mesmo, onde várias das vezes os desenhistas fazem que estariam criando uma autofelação e que deu em merda, surgindo a Auto Vore.

Tail VoreEditar

  Não, eu não faço isso.  
Tails sobre Tail Vore
Pensa que a acima era a forma mais escrota desse fetiche? Errou, pois criaram uma forma pior ainda, onde é feita por algum personagem com cauda enorme, e é realizada pelo ato de algum personagem engolir o outro...pelo rabo. (não este rabo). Tal fetiche tornou-se popular entre os otakus em Dragon Ball Z na saga do Cell que usava seu rabo em formato de desentupidor de privada para praticar vore contra androides.

Cock VoreEditar

Uma versão oito vezes mais piorada e incomum da Anal Vore, onde é a versão do Mundo do Contra dela, onde consiste em algum personagem com síndrome de Kidbengalismo, simplesmente engolindo alguém diretamente pela cobrinha. Alguns dizem que no mundo real, ocorreu uma vez com a pessoa baseada nesse fetichismo, por engano.

UnbirthingEditar

Achou que o acima era o mais escroto e repugnante de todos? Pois então inventaram um pior ainda, o Unbirthing, termo que do inglês significa "des-nascer", ou seja, o indivíduo é devorado por uma buceta. No caso, para fazer algum sentido de que um indivíduo adulto adentre por inteiro a vagina de uma fêmea, é necessário uma liberdade poética de que um buraco negro se materializou no lugar do útero da predadora, permitindo tal prática. A pessoa devorada é então dissolvida no útero alheio, transformando-se em feto abortado talvez.

Personagens que praticam VoreEditar