(Redirecionado de Snoopy)

Cquote1.svg awww aww aw aw Cquote2.svg
Snoopy falando com Woodstock sobre o fim da era George W. Bush

Cquote1.svg irr ir ir irrir Cquote2.svg
Woodstock respondendo a Snoopy sobre o ufanismo da eleição de Barack Obama

Cquote1.svg aww aw aww aaw Cquote2.svg
Snoopy defendendo seus direitos civis perante a tirania de seu dono Charlie Brown

Cquote1.svg Ele vai me passar germes Cquote2.svg
Lucy sobre Snoopy

Cquote1.svg DALMATA PERDIDO!!! Cquote2.svg
Pessoal de 101 Dalmatas sobre Snoopy

Snoopy é um personagem da série de quadrinhos Minduim. Oficialmente ele é apenas o cachorrinho do personagem principal, Charlie Brown, mas fez tanto sucesso que todo mundo que não conhece o gibi/desenho pensa que ele é o protagonista.

HistóriaEditar

 
Snoopy, quando era um mosqueteiro da rainha francesa

Snoopy nasceu na França no ano de 1578, e sempre teve o sonho de tornar-se um mosqueteiro da rainha, inspirado em seu grande ídolo D'Artagnan. Mas como era apenas um pequeno beagle, ninguém acreditava nele e o mandavam parar de sonhar, até que ele prestou o exame militar e causou uma boa impressão a D'Artagnan e à própria rainha. Alistado nos mosqueteiros, o beagle se destacou e virou um herói nacional, mas despertou a inveja do cardeal Bichelieu, sucessor do cardeal Richelieu, e acabou sendo vítima de uma trama sórdida e sinistra, sendo banido da França e deportado para a Sibéria. Nas geladas terras soviéticas, Snoopy acabou se tornando um cão puxador de trenó e sendo maltratado, pisoteado, mordido e humilhado pelos huskys, muito maiores e mais fortes que ele. No entanto, o pequeno beagle não se deu por vencido e enfrentou a matilha de valentões, vencendo todos e sendo promovido a líder dos puxadores de trenó. Mas uma tragédia ocorreu e Snoopy foi o único sobrevivente, passando décadas na solidão gelada da Sibéria.

Na guerraEditar

 
Snoopy e sua caçada implacável ao Barão Vermelho

Depois de 350 anos congelado numa montanha de neve da Sibéria (mais precisamente em 1939), Snoopy foi encontrado e revivido por um explorador ucraniano. Despertado num mundo completamente diferente do que ele conhecia o beagle decidiu voltar à França e ficou chocado ao ver que a sua pátria estava sendo fodida em todas posições e massacrada pelos alemães, decidindo mais uma vez ir às armas, dessa vez aprendendo a controlar o maravilhoso invento de Santos Dumont e derrubando as tropas de Adolfinho dos céus parisienses. No entanto, nosso herói, agora conhecido como o Ás dos Ares, tinha uma pedra em seu sapato: o Barão Vermelho, um sanguinolento soldado dos céus que já abatera mais de 10 mil inimigos, e não iria se intimidar com um reles cãozinho. Farto de ser subestimado, Snoopy enfrentou o inimigo sem temor e o venceu, no entanto seus feitos foram esquecidos rapidamente e seu nome não entrou para a história, o que deixou o pobre cão fudido e mal pago sem propósito na vida, quase a ponto de querer bancar o emo e cortar os pulsos.

Paz e amorEditar

 
Charlie Brown e Snoopy: não é gay lindo?

Quinze anos depois, os olhos de Snoopy se voltaram para a América, a terra das oportunidades (isso sempre foi uma grande mentira, mas todo mundo acreditava e se fodia ao chegar àquele país). Viajando de barco para o país (porque cachorro não podia viajar de avião) o beagle chegou à Louisiana, lar do jazz, e juntou-se à banda de blues de Louis Armstrong, tornando-se muito famoso. No entanto o cachorro sentia que faltava alguma coisa em sua vida, e esse algo surgiu na forma de um canário hippie chamado Woodstock. Snoopy, cuja vida sempre foi de lutas e batalhas, rejeitou a princípio a filosofia hippie de paz e amor por achar muito gay, porém mais tarde, depois de rever sua vida e se tocar que seus feitos nunca lhe renderam nada que prestasse, decidiu aprender esse novo estilo de vida sem armas nem violência, porém ainda faltava alguma coisa para o beagle se sentir realizado.

Charlie BrownEditar

Snoopy, que nunca teve uma bosta família, se inscreveu num programa de adoção de cães abandonados, porém como era muito velho ninguém o queria. Vendo filhotes fofinhos serem adotados, o beagle começou a perder a vontade de viver, até que um garoto cabeçudo e com cara de bobo o olhou e foi amor à primeira vista. O beagle ganhou um lar, um escravo dono muito submisso amoroso e finalmente encontrou um sentido para sua vidinha que até então era medíocre e, claro, não deixando seu mestre jedi mentor Woodstock de lado.