Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pain Lies on the Riverside

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg

Babel fish.gifTraduzindo: A Dor Jaz Do Outro Lado do Rio
Babel Fish sobre Pain Lies on the Riverside
Cquote1.svg Você quis dizer: Incentivo à natação Cquote1.svg
Google sobre Pain Lies on the Riverside
Cquote1.svg Você quis dizer: À Procura da Felicidade Cquote1.svg
Google sobre Pain Lies on the Riverside
Cquote1.svg Hino! Cquote2.svg
Nadadores dos Jogos Olímpicos de 92 sobre Pain Lies on the Riverside
Cquote1.svg Sabemos onde o Pain foi enterrado! Cquote2.svg
Otaku se confundindo

Após dominarem o Mundo as rádios com “Operation Spirit”, o Liveman viu que já era a hora de colocar uma segunda música nas paradas, liderando a 5ª coluna do Grunge, nomeada “Post-Grunge”, e assim, após ouvirem todo o Mental Jewelry pra ver qual seria a música escolhida, e vendo que os Jogos Olímpicos de 92 em Barcelona se aproximariam, e lembrando que tem natação entre os esportes, resolveram escolher "Pain Lies on the Riverside", já que era a única música onde algo esportivo era citado: a natação. A música fez muito sucesso com isso, sempre tocando na arena de natação em Barcelona, e tendo seu instrumental usado pras vinhetas nos canais de TV que exibiram os Jogos. Alguns anos depois, uma nova horda geração de Otakus começaram a querer ferrar com a vida dos integrantes da banda, já que achavam que esse Pain na verdade era um Deus no mundinho complicado deles, e começaram a encher o saco mandar e-mails e ligar pra eles querendo saber onde ele estava enterrado. A vontade de colocar uma margarida na lápide dele era imensa. A banda considerou isso “encheção de saco” devido ao fato de a música ser de 1991 e o personagem ter sido criado mais ou menos 10 anos depois, e, por isso, somente após algum tempo, repararam que os Otakus têm um probleminha sério.

Índice

Sobre a músicaEditar

A música fala sobre 2 pessoas que já se ferraram muito na vida, mas, pra serem felizes mesmo com a família colocando uma dívida milionária em seus nomes, com sua casa sendo pichada, quebrada e sujada diariamente e o fato de terem snipers de prontidão na entrada da cidade deles os “esperando de braços abertos”, só queriam ser felizes andarem tranquilamente na favela onde nasceram e poderem se orgulhar de ter a consciência que o pobre tem seu lugar, assim, matam aquele troço que achamos ser abstrato chamada “dor” e o enterram (Ui!) próximo a um rio. E dali pra felicidade é só um passo (ou muito mais que isso: depende da família, do amor, dos amigos, da conta bancária...).

LetraEditar

OriginalEditar

I have never taken life
Yet I have often paid the price
And you, you are a victim of this age
And the guilt that hangs around your neck
Has got me locked up in a cage

You've got to learn to live until no end
But first you must learn to swim
All over again, oh no
Because

Pain lies on the riverside
And pain will never say goodbye
Pain lies on the riverside
So put your feet in the water
Put your head in the water
Put your soul in the water
And join me for a swim tonight

I have forever, always tried
To stay clean and constantly baptized
I am aware that the river's banks, they are dry
And to wait for a flood
Is to waits for life

I've got to learn to live until no end
But first I must learn to swim all
Over again
Because

Pain lies on the riverside
And pain will never say goodbye
Pain lies on the riverside
So put your feet in the water
Put your head in the water
Put your soul in the water
And join me for a swim tonight
For a swim tonight

Oh my love
I've got to learn to live until no end
I've got to learn to swim all
Over, all over, all over again
Because

Pain lies on the riverside
And pain will never say goodbye
Pain lies on the riverside
So put your feet in the water
Put your head in the water
Put your soul in the water
And join me for a swim tonight
For a swim tonight

Got a swim all over, all over, all over, all over again
Got to live all over, all over, all over, all over again

TraduçãoEditar

Eu nunca tirei uma vida
Ainda eu frequentemente tenho pagado o preço
E você, você é outra vitima desse tempo
E a culpa que se pendura em torno do meu pescoço
Tem me prendido numa prisão

Você tem que aprender a viver até que não tenha fim
Mas primero você tem que aprender a nadar
tudo de novo , oh não
por que.....

A dor jaz do outro lado do rio
E dor nunca dirá adeus
A dor jaz do outro lado do rio
Então coloque seu pé na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à noite

Eu tenho sempre, sempre tentando
Ficar limpo, e constantemente batizado
Eu estou consciente que o rio é um banco seco
E esperar por uma enchente
É esperar por uma vida

Eu tive que aprender a viver até que não tenha fim
Mas primero, eu tenho que aprender a nadar
tudo de novo
por que...

A dor jaz do outro lado do rio
E dor nunca dirá adeus
A dor jaz do outro lado do rio
Então coloque seu pé na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à
Nadar hoje à noite

Oh meu amor
Eu tive que aprender a viver até que não tenha fim
Mas primero, eu tenho que aprender a nadar
tudo de novo
por que...

A dor jaz do outro lado do rio
E dor nunca dirá adeus
A dor jaz do outro lado do rio
Então coloque seu pé na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à noite
Nadar hoje à noite

Nade tudo, tudo, tudo, tudo de novo
Tem que viver toda, toda, toda, toda de novo.

"Tradução"Editar

Eu nunca tirei vida
Ainda eu frequentemente tenho pagado o preço
E você, você é uma vítima desse tempo
E a culpa que paira em torno do seu pescoço
Tem me prendido numa prisão

Você tem que aprender a viver até que não tenha fim
Mas Primeiro você deve aprender a nadar tudo de novooh não,
Pois

a dor fica na margem do rio
E dor nunca dirá adeus
A dor fica na margem do rio
Então coloque seus pés na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à noite

Eu tenho sempre, sempre tentei
ficar limpo e constantemente batizado
Eu estou consciente de que margens do rio, eles estão secos
e esperar por uma enchente
é a espera para a vida que

eu tenho que aprender a viver até que não tem fim
Mas primeiro eu preciso aprender a nadar tudo de novo
Porque

a dor situa-se na margem do rio
E dor nunca dirá Dor adeus
fica na margem do rio
Então coloque seus pés na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à noite
para dar um mergulho à noite

Oh, meu amor
Eu tenho que aprender a viver até que não tem fim
Eu tenho que aprender a nadar todo, todo, todo novamente porque
a dor situa-se na margem do rio
E dor nunca dirá adeus
A dor fica na margem do rio
So colocar os pés na água
Coloque sua cabeça na água
Coloque sua alma na água
E vamos comigo nadar hoje à noite para dar um mergulho à noite
Got a nadar todo, toda, toda, mais uma vez tenho que viver por toda parte, todo, toda,
mais uma vez

ConclusãoEditar

Todo mundo tem uma válvula de escape pra esquecer os problemas. Ed tem a natação pra poder se esquecer da vida que leva. Ele usa a natação, e na música, chamou uma amiga (ou mais que isso...) que se encontra na mesma merda, e tentam esquecê-la juntos no rio, torcendo pra não acharem ninguém pra lembrá-los disso. Boa sorte a eles!