Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mulher húngara

Estatua Atila - Hungria.jpg
Este artigo veio da Hungria!!!

Este artigo é magiar. Ele mora numa Budapeste, visita a Héviz Spa, come Gulash, resistiu aos Hunos e tenta se aparecer para os demais europeus.

Não estrague este artigo, senão a torcida do Honvéd Budapest irá atrás de você.


Merdas que as húngaras têm de aturar por parte de seus congêneres.

Mulher húngara é aquele exemplar de ser humano do sexo feminino oriundo da Hungria, país conhecido por ter descoberto a Vitamina C, inventado o helicóptero e outras inutilidades como a caneta esferográfica.

Índice

AparênciaEditar

 
Espécimen típico lá da Hungria.

As húngaras são consideradas das mulheres mais gostosas da Europa, principalmente porque tantas são exportadas para modelos ou atrizes pornográficas (consideradas as melhores lá do território europeu) devido a serem donas de coxas bem elásticas e de joelhos resistentes, que não se ralam com facilidade. Ao longo da História, a Hungria invadiu vários países e reza a lenda que levou as gostosas de outras nacionalidades para seu país de origem, o que fez com que a "húngara" fosse se aperfeiçoando com os genes de gostosura das demais mulheres europeias: por isso, em território húngaro encontra-se todo o tipo de mulher gostosa, desde loiras a ruivas, ainda que a abundância seja de morenas com olhos claros.

Muitos as consideram uma versão em biquíni das bruxas romenas (pois os desfiles meio-desnudados são uma modalidade muito habitual na Hungria) e rivais à altura das tchecas na Europa: especialistas acreditam estar aqui a origem da rivalidade milenar entre morenas e loiras, pois a maioria das húngaras são morenas. Infelizmente, essa mulherada é adepta demais de cirurgia plástica, não sendo difícil encontrar uma húngara com boca gigantesca estourada de botox e peitões siliconados, ganhando um aspeto artificial de quem não pode chegar perto de fontes inflamáveis sob o perigo do plástico derreter. Estranhamente, muitos punheteiros que nem você acham essa porra atraente.

 
Historiadores acreditam que as húngaras foram as inventoras do decote.

A nível de vestuário, as húngaras têm muitas semelhanças com as russas, demonstrando preferência por trajes duvidosos, que facilmente as fariam ser confundidas com profissionais que trabalham nas esquinas da vida, sendo mestras na arte de pagar peitinho e chupar picolés de maneiras sugestivas. Segundo os especialistas, estes métodos foram inventados pelos próprios húngaros, que dizem preferir as "suas mulheres" às de outras nacionalidades.

ComportamentoEditar

 
Apenas mais um dia típico na Hungria.

As húngaras são um tipo raro de mulher, pois só existem na Hungria (duh), e mesmo por lá, a maioria é de etnia cigana (e não "húngara"), o que faz delas algo muito cobiçado pelos homens, inclusive os dos próprio país. Tal caráter raro tornou essa mulherada esnobe, metida e consciente de que pode ter um macho com um simples estalar de dedos (também devido à população de ávidos punheteiros, que nem você, que a rodeia nas redes sociais).

Os húngaros sempre foram inferiores por serem feios demais, e por lá nunca existiu coisas como feminismo, já que as mulheres da Hungria são totalmente idolatradas e conseguem sempre tudo o que querem, o que as tornou bem espertas e imunes à "cantiga do bandido" de estrangeiros. Apesar disso, elas costumam colar-se aos turistas durante a festas em Budapeste só para terem pinga grátis e, enquanto o cara se ilude que bancou uma e vai se enchendo de porre, no fim da noite as húngaras abandonam o cara à sua sorte sem ceder nada: dificilmente a húngara se vai envolver com estrangeiros, pois os "seus homens" já beijam o chão em que ela pisa.

 
A Hungria é um país conhecido pelos cavalos, e as húngaras desenvolveram a paixão por zoofilia cavalgar.

Como vêm de um país que insiste em se achar relevante na Europa (mas empurra todo o seu património para a Áustria ou para a Eslovénia), também têm a mania de humilhar os outros com seus conhecimentos matemáticos. É comum que duas húngaras rapidamente se envolvam numa discussão porque têm opiniões contraditórias e diferentes acerca do mesmo assunto, sendo que a porrada é algo comum lá na Hungria porque esse povo é muito individualista e só confia em ninguém, perseguindo-se uns aos outros para saber o que andam a tramar. Também são muito pessimistas, queixando-se constantemente acerca de tudo, sofrendo de nostalgia de quando a Hungria tinha um grande império perdido lá no passado.

Não espere essa mulherada saber de Geografia (elas não irão saber onde é o Brasil), mas esperam que você conheça todos os vilarejos e aldeias perdidas lá na Hungria. Também não falam inglês e têm a mentalidade de "quem vai na Hungria que fale húngaro". Esse povo odeia estadunidenses e franceses, mas têm boas relações com a Polônia. Elas são muito patrióticas: portanto, se você falar mal da Hungria na cara de alguma delas, vai ser jogado da torre sineira da Abadia Beneditina Milenar de Pannonhalma!

Vida sexualEditar

Como dito anteriormente, a Hungria cria e exporta as melhores atrizes pornográficas da Europa, o que a tornou incrivelmente fetichista por ter crescido num ambiente onde é idolatrada e nunca precisou fazer movimentos feministas para terem tudo o que sempre desejaram. As húngaras são muito difíceis de pegar, especialmente por estrangeiros, apesar de seu típico visual de vagabunda. No sexo, elas tornam-se verdadeiras vadias submissas, de chegar a lamber a tampa da privada se for necessário: como já têm poder no seu cotidiano, elas querem ser sodomizadas por um macho na sua privacidade. É muito fácil entender como uma húngara se comporta sexualmente; em qualquer site pornô, as chances de encontrar uma é quase certa, especialmente se estiver procurando por sexo oral.

Para conquistar uma húngara, seja húngaro, seja um "cavalheiro" (que abre portas, puxa cadeiras e paga tudo) e compre-lhe um cavalo e arco e flecha.

Húngaras famosasEditar

Mais mulherada dos CárpatosEditar