Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mulher albanesa

Escudo albania.png Nga shqiptarët!

Este artigo é Albanês! Ele tem um passarão esquisito na bandeira e seu marido muito provavelmente pertence ao narcotráfico. Seu grande sonho é, um dia, vir a ser um país de verdade!

Madre Teresa de Calcutá ora por você!

Albanesa segurando a bandeira para comprovar que a Albânia existe.

Mulher albanesa é aquele exemplar de ser humano do sexo feminino oriundo da Albânia, país conhecido por ter os piores serviços de transporte da Europa, por ser um principais países exportadores de maconha e por ter acolhido Lord Voldemort depois da sua fuga da Inglaterra.

Índice

AparênciaEditar

 
Espécimen típico lá da Albânia.

Junto ao Mar Adriático e mesmo a norte da Grécia, encontra-se o país mais insignificante dos Bálcãs: a Albânia. Um país pequeno que, mesmo depois de falir o Comunismo, ninguém sabe nada acerca daquela porra, e há quem pense que foi um país inventado por J.K. Rowling. Surpreendentemente aquele Acre da Europa existe e tem mulherada, sendo a mais famosa a Madre Teresa de Calcutá, mas ninguém que ela é da Albânia! Confusão natural, porque as albanesas são uma mistura de europeia com árabe, sendo maioritariamente morenas mas tendem a ter olhos claros (azuis, verdes e cinza). Reza a lenda que muitas albanesas usam cremes para branquear a pele, para não se parecerem tanto com as turcas. Albanesa gorda é raro, até porque não existe McDonald's na Albânia.

 
Albanesa entupida em maquiagem só para ir no estádio de futebol.

A nível de vestuário, essa mulherada é bem vaidosa, mas como a religião predominante é a islâmica, não podem abusar abusam nos decotes nem nas transparências, preferindo um estilo mais sem graça que os pseudo-intelectuais chamam de "sofisticado". Como quem diz, a Albânia está longe de ser uma capital da moda.... É dito que as albanesas sabem se comportar em público, pois são muito recatadas e pouco expressivas. Mas o que ela não tem em personalidade, compensa na roupa e maquiagem: usa e abusa, em todas as ocasiões tem de usar salto e essas porras. A albanesa adora chamar a atenção, mas depois fica chateada quando algum homem olha para ela.

ComportamentoEditar

 
Devido à forte presença islâmica, a dança do véu tornou-se uma atividade muito comum entre as albanesas.

Depois de anos de isolamento por causa do Comunismo, as albanesas só se conseguiram exibir ao mundo a partir da Década de 90, e, ao contrário das sérvias que aceitaram a sua submissão, as albanesas de Tirana, talvez por viverem na capital e estarem mais próximas da Grécia, aderiram com grande entusiasmo aos cancros da sociedade ocidental, tendo um deles sido o Feminismo: lutaram pela sua emancipação, e estão mais preocupadas com a sua carreira profissional do que em casar. Talvez isto também seja culpa dos seus congéneres masculinos: afamados bandidos pertencentes à mafia, ao narcotráfico e que traficam mulheres para o Ocidente para as obrigarem a se tornar prostitutas, o que acaba por acontecer às mais ingênuas. Mas esse está longe de ser um país infestado por feministas, como acontece com os países da Escandinávia, a maioria das albanesas é Amélia: acredita que o lugar da mulher é na cozinha e o melhor presente que pode receber na sua vida é uma máquina de lavar roupa! Geralmente são essas mais conservadoras tradicionais e submissas aos homens, que acabam sendo vítimas do tráfico, tal como acontece com as romenas. Apesar de ser dos países mais pobres da Europa, as albanesas não confiam em estrangeiros ricos, mas deixam-se enganar pela cantiga do malandro dos próprios albaneses, que as iludem com seu papo furado de mafioso, cujo único objetivo é ganhar dinheiro a todo o custo. Aliás, elas já estão tão habituadas à pobreza, que problemas com dinheiro não têm importância.

 
Albanesas putas emancipadas de Tirana.

Essa mulherada ou será ateia ou muçulmana e parece não haver outra religião por lá: a Albânia foi declarada pelos comunistas como o primeiro estado ateu do mundo em 1967, mas atualmente 70% da população reza ora para o Alá. Ainda assim, elas nunca botam os pés na mesquita, pois dizem ter outras prioridades... E uma delas é a família: tal como toda a mulherada dos Bálcãs, as albanesas são alienadas pela sua família, e não tomam nenhuma decisão, nem ir cagar nem transar, sem o consentimento prévio de seus pais: e os pais albaneses são conhecidos por serem doidos e matarem os namorados de suas filhas! Mas como as albanesas, com a abertura ao mundo, se foram tornando mais piranhas, quando chega a hora de casar e não são mais virgens (como são obrigadas a ser lá na Albânia), elas vão a uma clínica para fazer uma operação de reconstrução de sua virgindade. WTF. Honrar as tradições e a família é algo sagrado na Albânia, e não cumprir com esses valores dá direito a ir para o gulag apedrejamento: desde que o Comunismo faliu por lá que o objetivo tem sido eliminar todas as medidas comunistas, a começar pela igualdade entre homems e mulheres e instaurar o Islamismo como religião oficial. Agregada à albanesa, vem o seu pai e irmãos, sempre pronto para encher de porrada o cara que teve de ousadia de falar com a guria: se quer pegar, tem de casar primeiro! E o casamento é para a vida toda, já que Albânia tem das taxas de Divórcio mais baixas da Europa.

Vida SexualEditar

As albanesas são bem territoriais quando o assunto é homem: o namorado é dela e não é de mais ninguém, e é paranóica, extremamente ciumenta, quase ao nível de perseguição mesmo, ela não deixa outras mulheres olharem para o "seu homem", senão o pobre coitado vai ter que escutar grito quando chegarem a casa, porque ela não arma o barraco na rua. E o cara que nem se atreva a olhar para outras! Possessiva, mas extremamente conservadora, esta Amélia só faz sexo de luz apagada e demasiado dos lençóis, pelo que não espere que ela seja a mais selvagem, até porque vive numa sociedade machista.

Para conquistar uma albanesa, mostre que tem um trabalho honesto, pague por todas as despesas dela e seja bailarino.

Albanesas FamosasEditar

Outra mulherada dos BálcãsEditar