Abrir menu principal

Desciclopédia β

Marcus Valerius Martialis

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM DESCICLOPÆDIA!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS HVMORISTICVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg


Cquote1.png Você quis dizer: Marcos Valério Cquote2.png
Google sobre Marcus Valerius Martialis
Cquote1.png Você quis dizer: Arte Marcial Cquote2.png
Google sobre Marcus Valerius Martialis
Cquote1.png Se ele queimasse meu filme o processaria por plágio Cquote2.png
Nero sobre Marcus Valerius Martialis
Cquote1.png Se ele queimasse minha rosca o pediria em casamento Cquote2.png
Alexandre, o Grande sobre Marcus Valerius Martialis

Marcus Valerius Martialis ou em sua versão enrustida Marcial foi um poeta antiquíssimo que gozava dos e com os romanos.

Índice

IntroduçãoEditar

Poeta meio-irmão de Bocage, a distância temporal é um mero detalhe, foi um dos ícones da atual indústria de Hentai fazendo os primeiros roteiros antes da criação dos mangás japoneses, isso é normal - roteiro vem antes do desenho -, mas o roteiro veio cerca de 2000 anos antes. Era realmente um homem a frente, e de vez enquando atrás, de seu tempo.

HistóriaEditar

 
Foto de Marcial estampada em um dos biscoitos da época

A história de Marcial se confunde com a história romana, mecenato e com a pederastia, que são, em linhas gerais, a mesma coisa.

Contextualizando, tinha-mos Marcial, aquele poeteiro que fazia todo tipo de arte encomendada em troca de dinheiro, sendo conhecido assim como mercenário, ou simplesmente, mecena da atualidade conhecido como garoto de programa artístico (ou não). Além disto, marcial jogava no time de Alexandre, o Grande, ou seja, no time das líderes de torcida. Desta forma, tudo isto estava ligado e coeso à história daquela época em Roma, "Sexo, Drogas e Arpa".

Marcial viveu por muito tempo nas costas de seus amigos abastados, mas obviamente trocava de posição com eles de tempos em tempos, ninguém é de ferro. Crê-se que o primeiro documento encomendado para Marcial tenha vindo das ordens de "Nero, Burning ROM", mas que, por algum motivo misterioso, tenha sido incendiado tempos depois e nada se sabe sobre este documento.

TrabalhosEditar

Você sabia que...

Marcial nunca "deu um prego numa barra de sabão", mas escrevia que era uma beleza, quando era pago com favores monetários ou nem tanto. Vejamos aqui algumas de suas obras primas que foram traduzidas do Inglês para Espanhol para Francês para Português para Inglês para Português e finalmente para o Latim:

"mentula cum doleat puero, tibi, Naeuole, culus,
  non sum diuinus, sed scio quid facias."

"A pica do garoto está o doendo, e a sua bunda está doendo a você, Naevolus. 
Eu não sou vidente, mas sei o que está acontecendo." 


O caralho de [[Linus]] — manjado por todas as minas —
não levanta mais. Te cuida, língua.}}
Tempos atrás, Ceciliano, ninguém queria
(nem de graça) comer sua mulher.
Agora, com os seguranças sempre por perto,
a turma toda quer: garoto esperto.
Quatro bimbadas numa noite, dou tranquilo, pode crer;
Mas nem uma em quatro anos, Telesilla, com você.
Diaulus era doutor, agora, agente funerário:
o que fazia antes, agora faz pior.
Você é linda, sim, Fabulla, é jovem, é rica,
É culta, quem é que vai negar?
Mas quando você começa a se mostrar
Fica mais parecida com uma puta.
"Quintus ama Thaís". Que Thaís? "Thaís, a cega".
Thaís é cega só de um olho, ele, dos dois.
Você diz, Sênia, que os ladrões te violentaram.
Não foi bem isso o que eles me contaram.

E, por fim, aquele que descreve melhor este artigo:

Mesmo depois de um livro tão longo
você diz que não gostou mas pede bis
Quer cuspir no prato em que comeu?
Cai fora, leitor, até mais, valeu.

Ver tambémEditar