Música Popular Brasileira

(Redirecionado de MPB)
Esse artigo tem a bênção do deus Hypnos!

Isso significa que ele fala sobre algo que dá muito sono. Vandalize e você será colocado para dormir eternamente.

06-hypnos.jpg
Platéia vazia.jpg Please STOP the music!

Este artigo se trata de cantores, bandas ou músicas cantadas muito, mas MUITO mal.


Cquote1.svg Você quis dizer: Música Pornográfica Brasileira Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Música de Rico Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Música Podre Brasileira Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Música Socialista Babacóide Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Música para Babacas Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Meu Pau Broxou Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: MPBosta Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.svg Você quis dizer: Música de pseudo-intelectual Brasileira Cquote1.svg
Google sobre Música Popular Brasileira
Cquote1.png Experimente também: Bosta Nova Cquote2.png
Sugestão do Google para Música Popular Brasileira
Cquote1.svg É uma punheta batida com o pau mole. Cquote2.svg
kid bengala sobre MPB
Cquote1.svg A Bahia é linda, ACM é lindo. Cquote2.svg
Caetano Veloso sobre MPB
Cquote1.svg Sinceramente, é coisa de boiola. Cquote2.svg
Oscar Wilde sobre MPB
Cquote1.svg Você quis dizer "MP3"? Cquote2.svg
Google sobre MPB
Cquote1.svg MPB para mim não é apenas um estilo musical.MPB para mim é magia.É como pegar um violão,e com a ponta dos dedos fazer poesia Cquote2.svg
Boça sobre MPB
Cquote1.svg Chega de saudade.. O pato créu na pata Cquote2.svg
João Gilberto sobre pseudo-intelectuais na platéia babando ovo
Cquote1.svg ZZZZZZZZZZ... Cquote2.svg
Alguem da plateia dormindo durante um show do João Gilberto
Cquote1.svg Dizem que eu imito o Morrisey. Eu não imito o Morrisey, imito o Jim Morrison e o Ian Curtis Cquote2.svg
Renato Russo sobre MPB
Cquote1.svg Isso é uma bichoooooooona! Cquote2.svg
Paulo Silvino sobre Caetano Veloso e Renato Russo
Cquote1.svg Tenta uma outra coisa, um curso de informática!! Cquote2.svg
Rogério Skylab sobre um cantor aleatório de MPB
Cquote1.svg É tudo repertição. Compara só Jorge Gaycilo e Djavan, Cláudia Leite e Ivete Sangalo. É tudo a mesma porra!! Cquote2.svg
Rogério Skylab sobre MPB
Cquote1.svg nUuUuXxA UhH kI ÉhH MpB?!? Cquote2.svg
Adolescentes e emos sobre MPB
Cquote1.svg Eu sou a nova MPB. Cquote2.svg
Lobão sobre MPB
Cquote1.svg É assim mesmo. A música vai evoluindo com o tempo. Veja, por exemplo, Gilberto Gil. De Domingo no Parque, ele agora canta Chupa Toda. Cquote2.svg
Alguém inteligente e Crítico sobre MPB
Cquote1.svg Me vejo obrigada a concordar com o crítico acima! Cquote2.svg
Moça intelectual sobre MPB
Cquote1.svg Você quer ser artista de MPB?? Tá bom, vamos lá. Você é filho de quem? Cquote2.svg
Um entrevistador boiola representante de Gravadora Jabazeira com um "aspira" para MPB
Cquote1.svg Os baitolas que me perdoem, mas macheza é fundamental. Cquote2.svg
Paródia de Vinicius de Moraes sobre MPB
Cquote1.svg A gatinha quer um amasso e tu dá a bundinha. Qualé, mermão!! Cquote2.svg
Gil Brother sobre MPB


MPB (abreviação de Música Para Baitola) é um estilo que mescla o jazz com o samba, tomando de cada estilo aquilo que tem de mais chato e adicionando letras com subtexto político e contestador, mas inofensivo.

Na década de 1970, enquanto o resto do mundo se divertia com acontecimentos divertidos como a seleção brasileira, Star Trek, Jimi Hendrix e a Guerra do Vietnã, o Brasil inteiro fingia que não tinha nada mais importante para fazer. Assim surgiu a MPB, nas mãos de pessoas que se consideravam revolucionárias, mas não tinham coragem de encarar uma guerrilha ou um assalto a banco.

Ferozmente nacional-fundamentalista, seus membros rejeitam a modernidade. Por isso, rejeitam instrumentos modernos e se apegam ao violão (basicamente, um precursor da guitarra que possui amplificação deficiente). Isso é refletido também na abordagem musical dos baitolas, cuja cultura consiste em repetir-se eternamente. Seus cantores "masculinos" se caracterizam por ter timbre fino. O famoso cineasta-doidão Glauber Rocha assim os definiu: "depois que surgiu o João Gilberto, nenhum cantor no Brasil canta como macho. O cantor mais macho do Brasil é a Maria Betânia." No vestir e no sentir, os nacional-fundamentalistas afirmam sua diferença: por exemplo, suas mulheres cultivam vastas cabeleiras encrespadas, não raspam as axilas e ostentam mixubinhas murchas e enrugadas desnudas. Do ponto de vista religioso, idolatram "A Morena" (arquétipo da fêmea cabeluda nas axilas) e São Caetano, que julgam ser o Pai Eterno (acham que ele sempre existirá). Já o comportamento masculino é afeminado.

A maior banda de MPB que existiu foi uma formada por músicos das mais diferentes vertentes, unidos todos por um ideal de oposição à ditadura militar. Juntaram-se e escolheram como nome uma sigla que fosse baseada no nome do estilo musical. Nascia o MDB, que depois mudou de nome para RBD e, finalmente, KLB, capitaneado por Caetanogil Galbetânicosta, o Líder Odara ("Supremo", em baianês) do movimento baitolista nacional-fundamentalista.

Curiosamente, a vendagem dos emepebistas é super pouca. Ninguém sabe como eles se mantém financeiramente. Há especulações de que a espécie ocuparia, periodicamente, o Ministério da Cultura.

A MPB hojeEditar

 
A música é uma bosta. O negócio é a suruba mesmo

Hoje, a MPB não existe mais. Com o fim da tortura, da censura e da TV branco-e-preto, os músicos perderam o motivo para protestarem. Os membros desta geração, que produziu tantos contestadores, tornaram-se clientes de um plano de saúde, compraram uma casa e um carro e tiveram filhos adolescentes chatos com o pior gosto musical de todos os tempos. Hoje em dia a MPB só serve pras mães encherem o saco dos filhos domingo de manhã, enquanto estão limpando a casa. Na verdade, o gênero como tal mutou para Axé Music, um subgênero caracterizado por letras mais diretas e arrojadas ("enfia aí, o seu dedo no seu cu e gira, e giiira, e giiiíííra"), com ritmo e métrica mais acelerados ("sacó-sacó-sacó-de aí, aí, aí"). A Axé Music é também descendente da MPB pela sua localização regional: é outra m***a que a Bahia exportou.

Os descendentes de fãs de MPB, volta e meia, na adolescência, resolvem prestar vestibular para algum curso de Humanas, e encontram uma fauna esquisita formada por pessoas filiadas ao PSOL, que usam penteados cobertos de piolhos e adoram Chico Buarque. Essas pessoas resolvem mudar o mundo se chapando, indo a botecos que não servem chopp e tocam música chata (e pior: ao vivo!), e acabam por promover surtos localizados de MPB até que as autoridades sanitárias resolvam interferir. Tipicamente, atingem a meia-idade sem um puto no bolso (a não ser que obtenham um "boquinha" no Ministério da Cultura - ver acima).

Itens necessários para um músico de MPBEditar

  • Um violão, geralmente desafinado. Ou afinado em um tom inadequado para a voz do cantor.
  • Um banquinho, mais afinado que o violão.
  • Um pela saco cantando.
  • Um bando de outros pela-sacos que ficam batendo palminha.
  • Uma voz que enche o saco e parece que estamos em 1940.
  • Versos como: Volta o cão arrependido...


Ai como eu sou bandidaaaa...

MPB: música ou letra?Editar

Quem ouve ou "toca" MPB não gosta de música. Só da letra. A letra é que é importante. Porque a letra deve refletir e se debruçar teoricamente, com palavras, sobre todo o drama da tessitura do esgarçado tecido da roda viva social. Deve ser um panfleto contra a opressão em todas as suas formas, um poema que reflita os sentimentos de que dica de bruços sobre o corpo seminal e musculoso da putaria um povo.

Três passos para "compor" MPB:

1 - Sair enfiando os acordes dissonantes que der na telha, nem precisa saber do nome deles e a sonoridade não importa.

2 - Sair dizendo tudo que der na telha, desde que soe como algo "intelectual" e "brasileiro", expressões populares são bem-vindas, desde que fique claro que é um "intelectual" que está falando. Expressões que aludam e louvem a típica vagabundagem do brasileiro devem também ser amplamente utilizadas.

3 - Quando "cantar", cruzar as pernas no estilo Caetano. "Cantar" com voz anasalada (tentar pronunciar as palavras através do nariz) e com timbre agudo (nada de cantar com voz tonitruante e potente masculina).

4 - Toda composição desse estilo musical deve conter trechos como:

- Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
- Gosto muito de você leãozinho
- Marmela da de banana, banana da de goiaba
- Eu tenho uma tia, mulher do meu tio que é muito maldoso e se chama fuzil

Em resumo podemos dizer que em composições desse genero qualquer verso sem sentido (chamado de liguagem poetica) pode fazer parte de uma composição popular.


O autêntico fã de MPB deve sempre citar o cu da letra de Construção, de Chico Buarque, como exemplo de um poema urbano perfeito, em que todos os versos terminam em palavras proparoxítonas.

Está aqui um exemplo de um desses poemas da nossa linda MPB:

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Eu vou!...

Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover
Não vou!

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Eu vou!

Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover
Não vou!

Diga a Maricotinha
Que eu mandei dizer
Que eu não tô
Não tô!
Não vou!
Não tô!
Não vou!

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Eu vou!

Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover
Não vou!...

Uma chuvinha, redinha
Cotinha
Aí, piorou!
Nem tô!
Nem vou!
Nem tô!
Nem vou!

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Eu vou!

Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover
Não vou!

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover

Se fizer bom tempo amanhã
Se fizer bom tempo amanhã
Mas se por exemplo chover
Mas se por exemplo chover

E volta o cão arrependido...


Estilos Musicais

Arrocha | Axé | Axé sueco | Blues | Bossa Nova | Brega | Brostep | Bubblegum dance | Celtic punk | Country | Crossover thrash | Cumbia | Dance Music | Dark Psy | Deathcore | Deathstep | Disco | Dubstep | Emocore | Emogore | Eurobeat | Eurodance | Fado | Flashback | Forró | Forró russo | Frevo | Funk | Funk carioca | Full On | Glitch Hop | Gospel | Grindcore | Hardbass | Hardcore | Hip hop | House | Indie | Jazz | J-Rock | J-Pop | K-Pop | Kizomba | Kuduro | Lambada | Lambada escandinava | Lo-fi | Mallsoft | Mambo | Mangue Beat | Maracatu | Metal | Música celta | Música de elevador | Música clássica | Música industrial | Música pop | Música pimba | Música psicodélica | Moombahton | MPB | New age | Pagode | Pagode norueguês | Pagode japonês | Punk | Pop punk | Psy | Psytrance | Rap | R&B | Reggae | Reggae finlandês | Reggae nazista | Reggae penitenciário | Riddim Dubstep |Rock | Samba | Salsa | Satanejo | Sertanejo | Sertanejo romântico | Sertanejo universitário | Swingueira | Tango | Techno | Tecnobrega | Trance | Trap | Vaporwave