Abrir menu principal

Desciclopédia β

Let There Be Rock (música)

Na capa do álbum da música, Angus fazendo o solo enquanto resto da banda descansa os braços e cordas vocais.

Let There Be Rock (traduzido Que Haja Rock) é uma música de rock-hard-melódico britânico-escocês-libanês da banda circense e grupo de dançarinos AC/DC. Lançada em 1977 a música tem estourado muitos tímpanos pelo mundo todo desde então.

Escrita e decifrada por Angus Young, Dante Alighieri, Malcolm Young, Bon Scott, Jesus Negão e Capeta Júnior, a música fez grande sucesso entre mulheres, tios motoqueiros, zumbis, retardados, você e a sua mãe por seu som estridente e irritante sem qualquer melodia mas que é divertido mesmo assim.

Índice

ComposiçãoEditar

 
Angus Young aos 10:35 da música.

Certo dia, o AC/DC queria fazer uma música única para a história do rock para tocar em seus shows mesmo em 2010, na verdade o dinheiro da cerveja das vendas do álbum Dirty Deeds Done Dirt Cheap tinha acabado e eles precisavam fazer uma nova música... Os integrantes se aproveitaram de suas raízes australianas e tendências escocesas para variar o rock que era só The Beatles e cover de Beatles até a década de 70. Bon Scott decidiu vender sua alma para o demônio em troca do sucesso internacional imediato da música que veio a ser inspirada na grande obra de Virgilio (Massacration em algumas crenças protestantes), a bíblia sagrada.

Let There Be Rock estourou as rádios (sim, o som da música explodia os rádios) porque foi a primeira música em toda Inglaterra tocada por gringos cabeludos do inferno que dançam como patos e fazem strip-tease nos shows, com uma guitarra elétrica.

A letra de Let There Be Rock é totalmente baseada no terceiro salmo do Gênesis da bíblia do Rock n' Roll, onde é contada a história do surgimento do rock, quando Jesus Negão (Chuck Berry em muitas crenças protestantes) cansado do carnaval comemorado em nome de seu sacrifício, decide criar o rock para perseguir qualquer pagodeiro ou sambista. Na música pode-se encontrar muitas citações do gênesis, como o famoso trecho:

  No primeiro dia, Deus criou a luz, no segundo dia criou-se o som, no terceiro dia foram criadas as baterias, no quarto dia as guitarra, no quinto dia as groupies, no sexto dia foram criados os baixos e finalmente, no domingo foi feito o show.
Bíblia do Metal sobre , 1:3

O ritmo e batida da música é claramente influenciada por Chuck Berry, Beethoven, Pyotr Ilyich Tchaikovsky e B. B. King com batidas de bateria e baixo idênticas, acordes de guitarras funestos e gritarias ao vocal, a música é muito usada em apresentações de ballet. A música originalmente tem 55 segundos, mas esse trecho é repetido por mais de 15 minutos para fazer os CDs e shows renderem.

Em 2006 foi comprovado cientificamente que Let There Be Rock pode provocar alucinações e perda momentânea de memória, além de causar mal a saúde se consumida misturada a heroína.

Não ouça com o fone de ouvido, a não ser que queira explodir a própria cabeça

ClipEditar

 
Nesse show tocaram Let There Be Rock.

Gravado na década de 70, a qualidade do clip da música é totalmente aquém da qualidade musical. No clip Bon Scott encarna um padre e Angus Young um coroinha, e fazem uma missa com os ensinamentos da sagrada bíblia do rock enquanto dançam. No final Bon tira a roupa do padre revelando um traje mais colado que os do Fredy Mercury.

Considerado pelo Vaticano uma heresia grave, o clip de Let There Be Rock deve ser queimado na fogueira imediatamente por qualquer católico. Let There Be Rock é o segundo jargão que mais chama santos inquisitivos, ficando atrás apenas de "Nobody Expects the Spanish Inquisition" (uma música do Metallica).

Estúdio e showsEditar

A música foi gravada em estúdio apenas uma vez até hoje, virando uma relíquia de 6 minutos de duração. Mas a presença de Let There Be Rock em shows é obrigatória, e quanto pior estiver a diarréia do vocalista, melhor vai ser a apresentação.

A música em si termina em 1 minuto, os outros 20 e tantos minutos ficam a cargo de Angus Young que encarna o Chimbinha e inicia um show repleto de efeitos circenses e pirotécnicos. Entre as performances mais clássicas está a de se jogar no chão igual uma barata agonizante (o famoso "espasmo"), explodir coisas, destruir coisas, cometer seppuku com a guitarra, subir nos ombros de um jeque (Brian Johnson), pular na plateia, tirar a roupa, se jogar no chão outra vez, surtar um ataque epiléptico, ter um orgasmo, sacrificar alguém, se fantasiar de diabo, se banhar em sangue, cair e rolar no chão outra vez, conversar um pouco com o capeta e tudo isso sem parar de tocar a guitarra.

Durante os solos de 16 minutos de Angus Young, o vocalista consegue um merecido descanso para beber água, se sentar e descansar a voz da gritaria constante que é um show do AC/DC, por isso Let There Be Rock sempre é uma música realizada no meio dos shows, estrategicamente.

ÁlbunsEditar

 
Nesse álbum também tem Let There Be Rock.

A música aparece em diversos álbuns da discografia oficial do AC/DC

CD

  • Let There Be Rock
  • Problem Child (single)
  • AC/DC Live
  • Who Made Who
  • If you want blood you've got it
  • Devil May Cry
  • Chimbinha Records
  • AC/DCSHE
  • Bonfire
  • Stiff Upper Lip Tour Edition
  • Let There Be Rock O Filme!

DVD

  • Highway to Hell Live (2 vezes)
  • AC/DC Live Johanesburgo
  • AC/DC No Bull
  • AC/DC Family Jewels
  • AC/DC Live Castelo de Nottinghan
  • AC/DC Live Ao vivo
  • AC/DC Live Brazil
  • AC/DC Live Berlim
  • AC/DC Live Kirquistan

Letra (original e tradução)Editar

Detalhe - A música deve ser gritada, não cantada.