Abrir menu principal

Desciclopédia β

Placa à direita.png Este artigo é coisa de conservador!

Ele(a) é a favor da Ditadura Militar, dos direitos dos cristãos e da família tradicional de 1920.
Provavelmente deve ser algum(a) cidadã(o) de bem defensor(a) da moral e dos bons costumes.
Se vandalizar, Clint Eastwood vai atirar em você!

Cquote1.png Isso é o que eu vô fazer com o Oriente Médio Cquote2.png

Cquote1.png Porra, até o Trump seria melhor do que essa porra, caralho! Cquote2.png
Dercy Gonçalves Mãe do Bush[1] sobre Jeb

John Elvis Ellis "Jeb" Bushmann (Bush 45, para os íntimos) é a versão mais jovem do George W. Bush. Originalmente um Mickey Fantasiado da Disneylândia, assim como 90% dos Republicanos da Florida, Bush 45 é o defensor de medidas como Invadir o Iraque™, Invadir o Irã e Invadir mais um país árabe de sua escolha. Também já foi defensor do Trump, mas desistiu quando descobriu que ele seria seu rival nas primárias republicanas, e portanto um xenófobo que governará para o Lobby das perucas. O eleitorado de Bush é composto por lobbistas da Flórida, amigos do Bush43 (Não os eleitores, estes votam em Marco Rubio), Ex-Trotskistas Convertidos à Direita e Muçulmanos suicidas. Por estas definições, é possível perceber que seu cabinete é uma casa de loucos.

Índice

Plano de GovernoEditar

Invasão do IrãEditar

 
Mahmoud Ahmadinejad, sendo torturado.

  Pró: A primeira coisa que Bush faria como presidente, seria aqueles que disseram que ele nunca conseguiria governar os Estados Unidos e manda-los uma foto com suas ex-namoradas usando a faixa presidencial. A segunda mais importante seria invadir o Irã, sendo a guerra uma atividade tão importante para o país quanto a sua Constituição. Assim, deverá se reconstruir o Irã depois da guerra, todavia como provavelmente 97% da população iraniana morrerá com a guerra é melhor deixar o país destruído mesmo.

  Contra: O Irã estava invadido, parecia bom, mas ninguém havia se dado conta de que a isso mancharia ainda mais a imagem dos Estados Unidos entre os Muçulmanos que voltariam a reagir agredir os Estados Unidos com atentados. Assim os Muçulmanos voltariam a fazer atentados contra os EUA, e é por causa disso que os Democratas nunca invadiram nenhum país do Oriente Médio, fazendo com que os Estados Unidos se tornasse refém seguro contra os Muçulmanos.

Comparação entre os BushesEditar

George H. W. Bush George W. Bush Jeb Bush
Palavras intencionalmente ambíguas para afirmar que ele é realmente Conservador "Jovem-e-suave conservador" "Conservador Compassivo" "Conservador Comprometido" (Então, para dar ênfase, "Eu sou meu próprio homem")
Cortes de gastos futuros falsos para que o Bush Troll aumente os Impostos , novos impostos para a primeira guerra do Iraque   Não; apenas "estabilidade" contínuos cortes temporários de gastos durante 2 anos Disse em um Comitê da Câmara em 2012 que aumentaria 10x para poder dobrá-los
Como os Democratas arruinaram sua carreira fazendo exatamente o que eles pediram "Leia meus lábios!" (1) Democratas na CIA informam que Saddam está comprando armas de destruição em massa;
(2) Pelosi, informada sobre uma simulação de afogamento, declara uma tortura chocante enquanto sorri acenando com a cabeça.;
(3) Bernanke and Geithner explodiram a economia logo antes das eleições.
(Ansioso para cumpriar as ordens dos Democratas sem ser solicitado)
Fidelidade às promessas de campanha "Leia meus lábios!" "Eu sou contra a construção da nação." (Várias promessas ainda em fase de testes)
Fui (de volta) para o Iraque após atentados aos direitos humanos sem justificação legal particular?   Sim; "Curdos e o Kuwait"   Sim; "Armas de destruição em massa"   Provavelmente; "ISIS e o Boko Haram"
Anistia para Aliens ilegais?   Sim   Não. Queria, mas destruiu todo o seu "Capital Político" antes   Sim; Ficar além dos seus vistos é uma prova de amor-à-nação
Taxar o dinheiro dos banqueiros ricos?   Sim; Resgate de poupança e emprestimo   Yes; TARP bail-out   Probably; Sementes da próxima Mortgage Meltdown estão sendo plantadas agora
Waterloo pessoal Olhando para o seu relógio de pulso a espera da Democracia acabar Voando sobre os desastres do Furacão Katrina enquanto deseja que tivessem mais crianças na escola para ler história em quadrinhos. (Falando no Telefone)

Referências