Abrir menu principal

Desciclopédia β

Gisborne (região)

Governador de Gisborne, Sam Osbourne.

Ozzy Osbourne Gisborne é uma das regiões anônimas e insignificantes da Nova Zelândia, a região teve seus cinco minutos de fama após um terremoto em 2007 atingir a região. O desastre comoveu Tua Mãe por 2 minutos e depois voltou a falar sobre as fofocas da Tua Tia.

HistóriaEditar

A região era desabitada até por Maoris, isso se deve ao fato de que os Maoris estavam com o saco tão cheio da Nova Zelândia que muitos foram para a Austrália virarem aborígenes que era bem mais construtivo, melhor e você não se sentia falando com uma pedra, apesar de você ter que falar com uma pedra.

O que restou foi meia dúzia de Maoris na ilha e muitos deles se concentraram no "U" da ilha norte, enquanto os maoris da ilha sul viviam uma suruba, digo, aventura todo o dia.

Não é de se esperar que até 1947 a região era oficialmente desabitada e que em 1950 o governo neo-zelandês mostrasse que "era um país de primeiro mundo (apesar de ninguém saber)" e mandasse uns fazendeiros e caipiras se afastarem da civilização e fazerem fazendas com ovelhas por aqui.

Seja como for, só duas cidades e meia surgiram aqui e aconteceram 3 terremotos entre 1700 e 1980 e nenhum prédio foi destruído, só árvores e algumas montanhas, até que apareceu a tragédia nacional neo-zelandesa: o terremoto de Gisborne!

Terremoto de GisborneEditar

O terremoto com magnitude 6,8 destruiu três prédios, várias árvores e idosos acabaram caindo e uma idosa sofreu um ataque do coração.

A tragédia foi acompanhada vinte quatro horas por vários neo-zelandeses que nunca viram confronto da polícia com traficantes no Rio de Janeiro ou os vários terremotos no Japão. Os noticiários chamaram isso de "a maior tragédia ocorrida na nova zelândia" a outra foi ter perdido para a rival no Rugbi, a África do Sul.

A Austrália, prima rica da Nova Zelândia, enviou uma ajuda de 20 dólares australianos para consertar o estrago. A nova Zelândia recusou o dinheiro depois de dizer: "Tudo bem, já consertamos tudo mesmo!".