Mudanças entre as edições de "Klaus Kinski"

1 byte removidos ,  21h20min de 4 de agosto de 2009
m
Em uma decisão muito perspicaz, sua família mudou-se para [[Berlim]] bem no começo da [[Segunda Guerra Mundial]]. Kinski alistou-se no exército nazista em [[1944]] e foi servir na [[Holanda]], onde experimentou [[maconha]] pela primeira vez na vida. Durante uma batalha contra as forças aliadas, Kinski derrotou sozinho um grupo de soldados britânicos mordendo eles até a morte. Quase recebeu a medalha cruz-de-ferro, honraria máxima do exército alemão, mas foi rejeitado após atirar com uma metralhadora no próprio esquadrão, depois de descobrir que seu chucrute não estava azedo o suficiente.
 
Depois da guerra, Kinski voltou arruinado para a [[Alemanha]], e passou a mendigar pelas ruas de [[Frankfurt]]. Sua sorte melhorou quando recebeu o dinheiro acumulado na [[Suíça]] em uma conta, onde depositava mensalmente dentes de ouro arrancados de [[judeu]]s ricos. Em [[1971]] atua no espetáculo ''Jesus Tour'', onde interpreta [[Jesus Cristo]], um profeta ariano da Bíblia que usa um chicote para expulsar a platéiaplateia do teatro. Durante uma discussão histérica com o público, Kinski jogou um candelabro aceso contra uma caixa de dinamite, explodindo a '''Casa de Ópera de Berlim''' (fundada em [[1516]]).
 
Nos anos seguintes, Kinski colaborou com o diretor [[Werner Herzog]], outro maníaco, em cinco filmes clássicos do cinema racista alemão moderno. A briga interminável dos dois artistas já é lendária, com ameaças constantes de morte e rasgação de [[cu]] e as constantes explosões de raiva do bipolar Kinski atrapalhando as filmagens. Em '''Aguirre (1972)''', Kinski irritou-se com os barulhos vindos de um bordel, e disparou vários tiros contra as paredes externas do estabelecimento. A ponta do [[pênis]] de um dos extras foi arrancada no incidente.
49 589

edições