Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desentrevistas:Ludwig van Beethoven


Desentrevistas.gif

Este artigo é parte do Desentrevistas, a sua coleção de fofocas informações sobre as pessoas famosas.

Ludwig van Beethoven muito animado com o piano

Para conseguir esta entrevista com um dos maiores ouvintes da Música Erudita, jogamos um caminhão da Ultragaz em direção a um piano de cauda. O impacto fora tão extremo que Beethoven voltou do além sentado ao instrumento, cabisbaixo e queixando-se de que a explosão causada tinha desafinado a corda Lá. Deixando a fumaça baixar, fomos ao seu encontro. Estava afinando:

Olá mestre Beethoven. Podemos lhe fazer algumas perguntas sobre você rapidamente?Editar

Hum?

PODEMOS LHE FAZER...Editar

Porra! Não precisa gritar! Tanto tempo enterrado embaixo de um bloco de mármore fizeram um bem danado a minha audição. Como eu sempre digo... "Apenas quebre o silêncio..."

Tudo bem, mestre... Qual era sua grande fonte de inspiração para compor tantas obras-primas?Editar

Ahh... tinha várias.... Mozart, Bach, Brahms, Haydn... Costumava comprar partituras deles no Mercado Livre, porém sempre vinham resumidas, sem claves... porém bastava acrescentar algumas notas repetidas, uns allegros ma non troppos, e a obra ficava perfeita (do meu jeito, claro)

Você não considerava isso plágio?Editar

Desconheço...

Quando começou sua carreira de pianista virtuoso?Editar

Quando eu era jovem era um sonho meu ser pedreiro, marceneiro, coisas do gênero... sempre gostei de obras concretas, sabe? Meu pai quis que eu fosse um artista. Até hoje não entendo direito seu raciocínio... Queria me transformar num Mozart, que usasse peruca com 13 anos e ficasse fazendo trinados quando uma duzia de boiolas ficasse atrás de mim falando coisas como "Que garoto espetacular", "Este menino é fenomenal", "Delicioso!"... Está vendo este piano?

Sim, claroEditar

Então...

Uhn?Editar

Afinei o Lá

Beethoven, você sempre teve acessos de raiva e irritabilidade durante sua vida. Você acha que estas crises vinham de algum trauma de infância?Editar

Como estava dizendo... meu pai não queria saber de que eu fosse outra coisa além de um artista. Um dia ele me levou a um destes bailes onde eu tinha certeza que ia encontrar as dúzias de boiolas. Lá (infelizmente) tinha um piano, daqueles bem de brinquedo mesmo.... Me insistiram tanto pra tocar que perdi a paciência. Cheguei até o piano, subi em cima dele, tirei as calças e pegando na minha flauta disse: "Toquem aqui quem quiser!". Nunca apanhei tanto na minha vida... Meu pai disse que eu "forçara demais" (depois disso nunca mais deixei de usar o pedal...). Foi também nesta noite que escutei o "Delicioso!"

Depois de um tempo você teve apego pela música, porém...Editar

Como vocês sabem tanto da minha vida?

(silêncio)Editar

Bem... deixa pra lá... Schopenhauer já me falou disso uma vez...

Quando começou suas primeiras composições?Editar

Quando estava duro, nos dois sentidos da palavra. Quando estava sem dinheiro, fazia uma música qualquer lá e ganhava uns trocados, como esta daqui [[começa a tocar a 9º Sinfonia no piano]]. Está vendo? Além disso, ninfetinhas sempre foram minha paixão. Uma delas trabalhava numa marcenaria... Ahh, ainda me lembro de quando martelava as preguinhas dela...

Então as mulheres jovens eram uma de suas inspirações?Editar

Não podia ter só macho como inspiração, né? A principal vantagem de você saber compor é que... PORRA!

O que aconteceu?Editar

Ta vendo esta tecla preta aqui?

SimEditar

Tá desafinada... Espere um pouco...



.





.





.





.






.






.





Pronto! Pode falar agora...

Qual foi sua primeira grande obra?Editar

Todos dizem que foi a Sinfonia nº3, o que eu não entendo... Risquei toda a partitura; só faltou rasgá-la. Porém na época estava sem grana ainda, além de estar passando por uma grande fase de depressão (estava andando muito com Rachmaninoff). Eu estava me considerando sujo, desumano... Estava ficando com uma mulher que usava bengala como se fosse muleta. Ela tinha um bom papo, porém eu não ouvia nem a comia. Foi o encontro com o meu irmão que me animou. Ele estava com tuberculose, e varria as noites junto com Chopin nas baladas pela cidade. Enquanto isso, eu traçava sua mulher minha amada imortal, que na verdade não passava de uma puta paga. Como ela estava grávida do Beethoven Jr, eu não podia deixa-la assim, a toa. Quando o pequeno nasceu, me exaltei de alegria: escrevi a Sinfonia Pastoral, que acabou sendo uma grande merda...

Por que?Editar

Não sentia a música...

Como assim?Editar

As notas eram vagas...

Vagas como?Editar

ESTAVA SURDO, PORRA!

Ahh sim... tinha me esquecido...Editar

Como já não ouvia mais nada, pouco me importava o resto do mundo. Gostava de ter a sensação de mandar todos pra puta que pariu sem me ouvir, assim não ficava com peso na consciência...

Nesta sua época de surdez aguda...Editar

Grave... sou barítono

Beleza... nesta sua época de surdez grave foi quando você criou suas mais belas e grandes obras-primas e...Editar

Não foi nada de mais. O classicismo para mim era ultrapassado... Me identifiquei mais com a filosofia Punk (por mais contraditório que isso pareça) e grande parte da Nona Sinfonia, das Bagatelas, das últimas Sonatas foram baseadas nela. Um clássico... perdão... romântico exemplo, ouça com atenção... [[começa a tocar sua Für Elise]].

Esta música...Editar

Sim! Exatamente! É o rascunho da minha Décima Sinfonia! A inacabada... INACABADA! HAUAHAUhauahauHAUAHAUhauahUA! Si, Si, Do, Re, Re, Do , Si, La, Sol, Sol... HAHAHAHAH!!

Sr. Beethoven, por favor, procure se acalmarEditar

NÃO ADIANTA MOZART! VOCÊ NUNCA VAI ME PASSAR A PERNA. NEM VOCÊ HAYDN!!! MUITO MENOS VOCÊ SCHOENBERG!!! HAUAHAUhauahauHAUAHAUhauahUAHAUha. HHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA!

Beethoven...Editar

ahauHAUHAAUhauhaauhUAHAAUHuahUAH! MUAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!

Beethoven...Editar

TAN TAN TAN TAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAN! VOCÊ VIU A OITAVA? TRINADOS, VÃO PARA O INFERNO!

O Freunde, nicht diese Töne...Editar

Oh...

Sondern laßt uns angenehmereEditar

...

Anstimmen und freudenvollere...Editar

FREUNDE! FREUNDE! AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!