Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desentrevistas:Fidel Castro


Desentrevistas.gif

Este artigo é parte do Desentrevistas, a sua coleção de fofocas informações sobre as pessoas famosas.

Fidel indo tomar uma birita com Lula após a entrevista.

Após entrar ilegalmente em Cuba, a equipe de jornalismo da Desciclopédia acabou sendo convidada por Fidel Castro por sua coragem a irem às gravações do segundo episódio sanguinolento sobre os temas de micareta e morte.

Confira a seguir a entrevista com o diretor Fidel Castro com à Desciclopédia durante as filmagens do filme O Albergue - parte II:


Você foi apontado como o futuro do gênero do terror universitário. O que você pensa sobre isso?Editar

Fidel Castro:Quentin Tarantino foi quem disse isso sobre mim durante uma entrevista sobre Tomates Verdes Fritos. É maravilhoso ouvir isso. Fico orgulhoso e feliz em ser colocado nessa posição, mas penso que não sou tudo isso. Tudo que eu quero fazer é um ótimo filme de forró universitário.

Você não se sente pressionado ao saber que o público espera que seus filmes sejam cada vez mais assustadores?Editar

Fidel Castro:Olha, pressionar eles sempre pressionam, ainda mais por trás, mas estou acostumado a lidar com grandes pressões. Eu estive na Guerra dos Cem Anos, então você pode imaginar.

O que mais assusta você?Editar

Fidel Castro:Bush e Regina Duarte.

Filmes de terror são mais fáceis de dirigir?Editar

Fidel Castro:Não. São muito difíceis. Eu não vejo como se estivesse dirigindo um filme pornô. Vejo como se estivesse contando uma história. De que adianta assistir a um filme de sexo gemendo sons assustadores, sendo que esses recursos não são assustadores. Aí você assiste a um filme como "Elefante", do Gus Van Sant. Eu fico arrepiado quando assisto a esse filme, sem efeitos especiais, sem trilha sonora. A forma como estavam filmando, pra mim, era aterrorizante. Não consegui dormir quando vi esse filme. Eu quase parei de assistir na metade. Pergunta pro Evo Morales, é verdade.

Qual é seu filme de terror preferido?Editar

Fidel Castro:Amor, Estranho Amor, sem dúvida.

O que inspirou você a escrever e dirigir "O Albergue - Parte II" novamente?Editar

Fidel Castro:Foi a impressionante reação dos fãs ao primeiro filme. Eu nunca pensei que faria "O Albergue - Parte II". Pensei que fosse o fim da direção de filmes para mim. Adoro filmar aqui em Boiçucanga e Aral. Tinha sofrido tantas rejeições que me deixaram tão pra baixo que pensei: "Nossa, você se superou dessa vez". Quis fazer logo "O Albergue - Parte II". Não podia esperar o filme ficar passado. Eu mergulhei de cabeça nele.

Que tipo de crítica você recebeu com "O Albergue"?Editar

Fidel Castro:A população de Boiçucanga já veio criticar o filme com a faca e o queijo na mão devido às péssimas repercussões do primeiro filme. Mas Chuck Norris ergueu a mão durante a pré-estreia e todos se calaram.

Vamos encontrar muita tortura em "O Albergue - Parte II"?Editar

Fidel Castro:Espere e veja. Uma das torturadoras será a Hello Kitty.

Você acha que o gênero terror foi subestimado por Hollywood?Editar

Fidel Castro:Sinto que o gênero terror é o filho ilegítimo e bastardo da indústria cinematográfica. Nunca foi levado a sério para nenhuma categoria do Oscar.

Existem cenas de micareta e sexo em "O Albergue - Parte II"?Editar

Fidel Castro:Não seria "O Albergue" sem micareta e sexo. Definitivamente, haverá momentos em que o público verá nudez nas partes em que quer ver. Não ficará desapontado. Desta vez, a nudez será explorada com algo mais sombrio, mais obscuro. E mais alguns detalhes que eu não quero entregar...

Qual foi a parte do filme mais difícil?Editar

Fidel Castro:Foi necessário muito Cheiramento de gatinhos e baforamento de Gás Letal de Alcachofra para que os atores ficassem em um estado demasiado doido para interpretar os momentos de extração do fígado.

O que você mais gosta em O Albergue?Editar

Fidel Castro:A discussão que gerou sobre a difamação de Boiçucanga e o repúdio de Lula ao ver o filme.

Você acha que Hollywood ficou paranoica com tamanha violência?Editar

Fidel Castro:As pessoas estavam com medo da violência até que viram as cifras de dólares. Estavam com tanto medo de O Albergue. Eles até têm um pouco de razão. Nunca fizeram um filme de terror tão violento assim. O mais violento até então era Xuxa e os Duendes.

O que você acha desse tipo de filmes para o público jovem?Editar

Fidel Castro:São sempre uma verdadeira bomba. (risos abafados)

Agora que você é o novo gênio do terror como vai a fabrica de Charutos?Editar

Fidel Castro: Esta indo muito bem você mesmo esta experimentando um.

Estou, mas... e a eu não tenho nada na boca!Editar

Fidel Castro: Na boca não AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA