Abrir menu principal

Desciclopédia β

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg


Babel fish.gifTraduzindo: Verme
Babel Fish sobre Creep
Cquote1.svg Ah, então é uma biografia sobre o Thom Yorke, claro! Cquote2.svg
Fã de outras bandas sobre citação acima
Cquote1.svg Ah, eu me identifico com essa música... Cquote2.svg
Mané que tomou fora no O Melhor do Brasil sobre Creep
Cquote1.svg Eu sinto isso toda vez que faço meu hobby. Cquote2.svg
Punheteiro sobre Creep
Cquote1.svg Não é emo, não é emo!É tocante! Cquote2.svg
Idiota sobre Creep

Creep é um hit da banda britânica Radiohead, um dos maiores sucessos da banda, excepcionalmente não só pela letra emificada de modo disfarçado de indie-alternativo, mas sim, pelas ciscunstâncias pela qual foi criada e escrita. Aliás, pode-se dizer que Thom Yorke escreveu tudo o que sentia, e, os gritos são realmente o tom do momento exato em que ele escrevia e estava em seu alto de criatividade.

Índice

CriaçãoEditar

 
A professora de Thom
 
Thom e sua técnica para pensar na professora durante as aulas, sem ser advertido

Thom Yorke era apaixonado por sua professora da escola, uma senhora(literalmente) que infelizmente não era dotada de muita beleza exterior. Ora, mas Thom pensou "OMG, essa moça tem uma beleza interior que compensa tudo". Bom, provavelmente o defeitinho em seu olho fez com que ele conseguisse ver não só o interior das pessoas, como ser cego ao avaliar o exterior, mas, sigamos.

Durante uma aula de química, Thom ficou admirado com o modo em que o elemento ácido queimava a pele de sua professora, e logo a pele dela o fez chorar, devido à sutilieza com a qual queimava(OMG!). Por isso ele começou a pensar que era um verme, um esquisitão, ainda mais quando a professora começou a olhar pra ele de cara feia quando percebeu que o mesmo estava babando. Ao fim da aula, Thom chegou perto da professora e começou a jogar lorotas contar sua história de vida e o quanto ele gostava dela. Quando ele se preparava para imaginar como a noite seria boa com aquela professora(até porque se falhasse talvez sua nota já seria óbvia na prova, mas ali mesmo já começou a ter problemas em segurar o leite), ela começou a correr, correr, correr de novo...

Thom então disfarçou, e, percebeu que não tinha condições de seguir na escola daquele jeito. Sim, ele correu para o banheiro já chorando, pois, com esse ataque emo nenhum macho em sua sã consciência entraria ali. O plano foi bolado, e, o primeiro passo era garantir que mais ninguém distraído entrasse no banheiro, vide, trancar a porta. Ele começou a molhar toda a roupa, a entupir alguns vasos(só deixou um intacto, já com a previsão de que poderia usar ele para uma próxima necessidade), e tratou de jogar água por todo o banheiro, para depois, quando já parecer que houve uma inundação no local, sair todo molhado e alegar para a direção que o banheiro entupiu quando ele usava tranquilamente, assim poderia sair da escola tranquilamente. Enquanto o banheiro não enchia para tal, ele começou a pensar em sua situação.

Começou a pensar na professora enquanto se divertia, relembrando a si mesmo que não podia nem olhar nos olhos dela, senão ele tinha um ataque de pânico e começaria a delirar, como já ocorreu algum tempo antes, no qual imaginou que a guria, que sofre ainda de obesidade, flutuava como uma pena, em um mundo bonito(a.K.a. República das Bananas para Thom). Ele não se continha quando saiu a primeira rodada, quando vociferou You SO FUCKING SPECIAL!. Ele gostou.

Surgimento da segunda estrofeEditar

 
E, realmente, a professora só pegaria esse duende se ele tivesse um pote de ouro! Ou um uniforme verde que fosse sexy

Como Thom sentiu que a criatvidade para criar uma música para sua banda de garagem juvenil Radiohead estava em alta, logo pegou um papel higiênico e dando uma gambiarra(use sua imaginação para saber como ele fez isso sem lápis), começou a usar uma mão para escrever, outra pra seguir jogando, e sua voz e seus pensamentos para seguir com a obra-prima.

Ele percebe que a gambiarra não funcionava direito, o papel rasgava facilmente. Não foi difícil imaginar machucando o papel higiênico. Volta com um I don't care if it hurts para começar a segunda estrofe a dar um pontapé no pensamento novamente. Os versos seguiintes foram uma alusão à ele mesmo, I wanna have control, I wanna a perfect body, especialmente porque ele culpa a falta de controle em seu momento como uma forma de ter perdido o respeito'(mas ele tinha?) da professora, assim como a cara de duende a assustou(se tivesse ao menos um pote de ouro...). Como viu que não estava dando muito certo para esticar a estrofe dessa vez, não demorou muito para puxar um YOU'RE SO FUCKING SPECIAL novamente para ver se algo acontecia. Bom, não foi tão bom para ele.

Daí veio na imaginação dele What the hell am I doing here? I don't belong here.. Sim, pois ele por muitas vezes foi forçado à usar o banheiro feminino ou o matinho de trás da escola parafazer suas necessidades, ele não pertencia àquele lugar, e, nem mesmo aos demais banheiros, e, muito menos era de tradição dele ficar ali(ele preferia ia para o clube do Xadrez dar de noob). Logo os emofeelings ficaram mais fortes, e surge um mega-emofellings moment.

Refrão: RUUUUUUN, RUUUUN, RUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUNEditar

Ele começa a imaginar a professora correndo, aquelas melancias podres de murchas subindo e descendo como se fossem um elevador, onde ele gostaria de ser o ascensorista. O prazer chega em um nível elevadíssimo e daí a perfeição no falsete. Muitos afirmam que dava para se ouvir os gritos(sim, gritos, não mais gemidos) em um rastro de 1 km. Essa imaginação dos peitos subindo e descendo veio à cabeça dele diversas vezes, daí os vários run, run, run...No último ele se cansou e decidiu relaxar e gozar de vez, até porque, o rolo de papel higiênico no qual ele escrevia a música não só estava se perdendo ficando molhado, como também estava por acabar. Por isso ele decidiu de fazer um semi-rock progressivo e decidiu escrever a última estrofe de uma vez.

Última estrofeEditar

Já desesperado por salvar o papel e por ver tudo se encher, ele imediatamente vai se concentrando mais no que escrever mesmo. Daí percebe-se a falta de criatividade, uma vez que é tão especial repete-se algumas vezes. Logo, decide relaxar novamente para voltar à se drogar inspirar. Repete então o fim da penúltima estrofe, e, chorando muito, desiste de tentar chegar ao ápice novamente. Termina com um I don't belong me, que seria o resumo de: Puta que pariu, mas que merda que eu tô fazendo? Eu podia só fugir dessa porcaria o mais rápido que eu pudesse e beleza! Bom, ao menos fez com que a música tivesse uma boa visibilidade e sucesso.

WikiletrasEditar

Creep

When you were here before
Couldn't look you in the eye
You're just like an angel
Your skin makes me cry
You float like a feather
In a beautiful world
I wish I was special
So fucking special
But I'm a creep
I'm a weirdo
What the hell am I doing here?
I don't belong here

I don't care if it hurts
I wanna have control
I wanna a perfect body
I wanna a perfect soul
I want you to notice
When I'm not around
You're so fucking special
I wish I was special
But I'm a creep
I'm a weirdo
What the hell am I doing here?
I don't belong here.

She's running out again
She's running out
She run, run, run, run
Run

Whatever makes you happy
Whatever you want
So very special
I wish I was special
But I'm a creep
I'm a weirdo
What the hell am I doing here?
I don't belong here
I don't belong me

PortuguêsEditar

Verme

Quando você estava aqui antes
Eu não podia nem te olhar nos olhos
Você é como um anjo
Sua pele me faz chorar
Você flutua como uma pena
Em um mundo bonito
Eu só queria ter sido especial
Você é tão especial
Mas eu sou um verme,
Sou um esquisitão
Que diabos estou fazendo aqui?
Eu não pertenço a este lugar

Eu não ligo se isso machuca
Eu quero ter o controle
Eu quero um corpo perfeito
Eu quero uma alma perfeita
Eu quero que você perceba
Quando eu não estou por perto
Você é tão especial
Eu só queria ter sido especial
Mas eu sou um verme,
Sou um esquisitão
Que diabos estou fazendo aqui?
Eu não pertenço a este lugar

Ela está fugindo novamente
Ela está fugindo
Ela corre, corre, corre, corre
Correr

Qualquer coisa que te faça feliz
O que você quiser
Você é tão especial
Eu só queria ter sido especial
Mas eu sou um verme,
Sou um esquisitão
Que diabos estou fazendo aqui?
Eu não pertenço a este lugar
Eu não me pertenço