Canal 90

A90.jpg Este artigo discute coisas intrínsecas aos anos 90's!

Se você NÃO teve infância naquela época, provavelmente está no Whatsapp neste instante. E se teve, também.


Cquote1.svg Eheeeeey, aqui é o Nogy... Cquote2.svg
Danilo Nogy, iniciando um novo vídeo (antiga frase).
Cquote1.svg Fala, noventistas! Aqui é o Nogy, e seja muito bem-vindo aqui no Canal 90! Cquote2.svg
Nova frase do apresentador, antes de cada vídeo.

Cquote1.svg Fala, noventistas; no vídeo de hoje, famosos que perderam tudo... Cquote2.svg
O criador da bagaça.

O Canal 90, dedicado a mostrar os anos 90 (ah, vá!), é apresentado por Nogy, como ele se autointitula. Lá, você vê tudo o que os seus pais aproveitaram naquela década, já que você, da Geração Zoeira, não viveu aqueles tempos de ouro. A música de abertura era "Urbânia Diga Adeus", de um tal de Carbona, mas isso foi só no começo, entre 2012 e 2013, quando foi criado, porque Nogy concluiu que a música não é noventista, então ela foi retirada do canal.

Tá, mas quem é Nogy?Editar

Para conhecer melhor o Canal 90, é preciso conhecer quem é o mentor de tudo isso, e ele atende pelo nome de Danilo Nogy de Oliveira, ou Danilo Nogy Polara (sei lá qual é a alternativa correta). Ele nasceu em Jacareí, no Vale do Paraíba, em 4 de maio de 1989 e foi lá que ele viveu toda sua infância noventista, tendo tudo aquilo que os pais podiam dar (ele era pobre de marré marré marré, antes de ser quem é hoje, um bem-sucedido youtuber) e vendo Banheira do Gugu, Manchete, CRUJ, TV Colosso, Angélica e outras coisas que você, que não conhece TV (pois só maratona séries no Netflix), via à exaustão.

Nogy é o terceiro de 4 filhos e se chama assim pois seu sobrenome (ou você pensou mesmo que o primeiro nome dele fosse mesmo Nogy?) é de origem húngara (chique no úrtimo!) e teve um blog sobre música independente, já trabalhou numa concessionária de carros até que, em setembro de 2012 fundou, de maneira despretensiosa, o Canal 90, um canal supimpa dedicado a tudo o que teve naquela década: enfim, isso eu já disse antes.

Nogy é conhecido por usar sempre uma boina, fazendo cosplay do baixinho da Kaiser ou daquele bigodudo dos games ou um boné da Charlotte's, e por mostrar sempre sua vida pessoal e profissional no Insta, e por ser gente boa paca.

Conteúdos que você encontrará no Canal 90Editar

A popularidade de NogyEditar

Nogy já era popular na infância, quando se divertia com seus amigos e ia levar as fitas VHS de volta às locadoras sem rebobinar. Atualmente, seu canal conta com R$ 2,1 milhões de inscritos e cerca de 500 mil visualizações/vídeo. Workaholic assumido, dedica-se de corpo e alma a pesquisar novo conteúdo para o Canal 90, dedicando 23 das 24 horas de seus dias a isso (o resto do tempo ele usa para mostrar a família ou fazer os mérchands).

Como eu Sobrevivi aos Anos 90: Histórias Reais de Uma Década SurrealEditar

Com o enorme sucesso do Canal 90, em 2018, em comemoração aos 6 anos do mesmo, Nogy dedicou-se de corpo e alma à elaboração de seu primeiro livro, Como eu Sobrevivi aos Anos 90: Histórias Reais de Uma Década Surreal, disponível também para compra online no Amazon, que ele não é bobo afinal quem vive de passado é museu.

Lá, ele detalha o que foi a efervescente década de 90, desde as brincadeiras e aparatos tecnológicos, passando pela música, TV e futebol, até concluir que sobreviveu aos anos 90. A fonte usada para escrever foi Futura Sans (prima rica da Century Gothic), muito em alta na década, o que dá ainda mais sentido. Seu livro vendeu mais de 8000 cópias só na primeira semana de lançamento.

AtualmenteEditar

O Canal 90 não é mais voltado só aos anos 90 (como assim? Não entendi.), no qual 70% do conteúdo ele fala de "FAMOSOS QUE..." (...mudaram de vida, perderam tudo; enfim); 30% é conteúdo realmente noventista. Nogy ainda só não falou do Brick Game lá, uma das sensações da época.

Nogy não é mais pobre há tempos: tem um puta casão em Jacareí, onde vive com a esposa e o filho, tudo isso bancado pelo YouTube, claro.

Um pouco do árduo trabalho de NogyEditar

Ver também:Editar