Abrir menu principal

Desciclopédia β

Bad Moon Rising

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg

Cquote1.svg There's a bad moon on the rise Cquote2.svg
John Fogerty sobre Bad Moon Rising

Cquote1.svg There's a bathroom on the right... Cquote2.svg
Idiota sobre Bad Moon Rising

A tal Lua que aterrorizou John Fogerty e mais um monte de nerds.

Bad Moon Rising, tradução: Lua Má Subindo ou A lua me traiu, acreditei que era pra valer é a música mais conhecida do álbum Rio Verde do Creedence Clearwater Revival e a música mais empolgante e excitante sobre o fim do mundo como conhecemos e eu tô bem que você vai ouvir em toda sua vida.

HistóriaEditar

Segundo o guitarrista e punheteiro da banda John Fogerty a canção foi escrita após ele ver o filme O Diabo e João Paulo e Daniel devido ao fim do mundo que era o enredo, mas a verdade é que Joãozinho era um grande jogador de The Legend of Zelda e na época ele tinha acabado de comprar o mais novo lançamento Majora's Mask. Logo que enfiou o cartucho no seu Nintendo 64, apareceu uma lua malvada subindo na tela da TV, e Joãozinho ficou tão impressionado que resolveu fazer uma música sobre a tal lua. No começo ele só conseguiu fazer um verso, mas depois de incorporar todos os pesadelos que teve com a lua nos dias seguintes, a canção estava completa.

Depois do sucesso os caras do Creedence foram convidados pra tocar "Bad Moon Rising" no programa de TV do Johnny Cash. A alegria contagiante com que a turma cantou sobre furacões, terremotos, enchentes e o caralho a 4 chocou os presentes, menos o apresentador Ratinho João Grana que já tava acostumado a fazer músicas sobre desgraças, tragédias, mortes e assassinatos e por isso tudo ficou por isso mesmo.

CoversEditar

Apesar de ser uma música que poderia ter saído de um jogo do Banjo-Kazooie, "Bad Moon Rising" foi regravada por uma porrada de bandas de gêneros totalmente nada a ver, principalmente de punk rock e heavy metal só pra deixar esse hino pop country chiclete mais caricato num estilo neoclassical-funk-zydeco-rockabilly.

Porém os covers mais famosos vieram do reino dinotopiano Argentina, onde a canção virou um jingle de estádio, ou seja, só nos estádios de lá você pode ouvir melodias como "Oooo, Obina é melhor que o Eto'o" ou poesias doces como "Júlio César, qualé que é, o Ronaldinho já comeu tua mulher" ao som dos tiozões do Creedence - depois que o Brasil se fodeu na Copa de 2014, os hermanos estão pensando seriamente em transformar a canção em hino nacional.

Ver no YouTubeEditar