Abrir menu principal

Desciclopédia β

American Idiot (single)

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg

Cquote1.svg Você quis dizer: Verdade Cquote1.svg
Google sobre American Idiot (single)
Cquote1.svg Você quis dizer: Hino dos EUA Cquote1.svg
Google sobre American Idiot (single)
Cquote1.png Experimente também: Hino do Oriente Médio Cquote2.png
Sugestão do Google para American Idiot (single)
Cquote1.svg Perfeita! Cquote2.svg
Ingleses, alemães, franceses, e todo o mundo sobre American Idiot (single)
Cquote1.svg Por isso o Green Day um dia tocará aqui. Cquote2.svg
Osama Bin Laden sobre Green Day tocar no Oriente Médio
Cquote1.svg Olha, essa música fala de nós! Cquote2.svg
Americano burro sobre American Idiot (single)

American Idiot é o single feito pela banda árabe americana Green Day, que, necessitando desesperadamente de algo para dizer que ainda era punk e não mais uma banda de emuxos, cria uma música que não critica o sistema, mas sim, conta uma verdade. Foi declarado como hino não-oficial do Reino Unido, junto com God Save The Queen, cantado pelos Sex Pistols.

Índice

O surgimentoEditar

 
Um bom exemplo de Idiota Americano

Billie Joe Armstrong procurava uma maneira de fazer com que o Green Day voltasse a ser chamado de punk ao menos por alguns idiotas que gostassem de algumas músicas mais movimentadas deles e já associasse ao antigo Green Day, mas não ao atual, que mais lembra Green Gay. Para não ser tachado de traidor do movimento punk até por traidores do movimento que não se tocaram, decidiram fazer uma auto-crítica, vide, Billie viu que uma homenagem à si mesmo e ao resto da população americana ia cair bem.

Como era super-legal fuder com os EUA de alguma forma, vide, queimando a lixeira do poste mais próximo para causar algum prejuízo à alguém, até enviar dois aviões para brincar de bate-bate numa torre de lego, Billie decidiu dar uma de Wikileaks humano e decidiu falar o que todo idiota sabe ninguém havia visto: A América (nós não somos norte-americanos, rá!) Os EUA é um país cheio de pseudo-pessoas sedentárias e que estão comendo neste momento alguma pizza comprada originalmente semana passada, mas que faz hora até hoje (ahn, pensando bem, tem brasileiro que faz isso...Hum...então logo logo alguma banda punk brasileira fará um Brazilian Idiot - e fará muito sucesso aqui).

Muito fácil. A ideia era melhor ainda, fazer os americanos normais ficarem putos e os anormais cantarem juntos se achando rebeldes contra a sociedade. Mas como nos EUA só tem anormal...Qualquer coisa falavam que era uma crítica ao George W. Bush. E fazer o resto do mundo mais que feliz. Isso seria como aquele cabaço lerdão que foi seu amigo de escola e se auto-zoava, pensando que isso era foda e que ele se popularizava e mostrava uma boa imagem de si por ser bem easy-going. Sim, isso era o que o Green Day queria ser.

A músicaEditar

 
Don't want to be an American Idiot... ♫

Don't wanna be an American idiot/ Don't want a nation under the new midia/ And can you hear the sound of hysteria?/ The subliminal mind, fuck America! Bom, como toda música punk um xingamento se faz obrigatório, para isso, Billie teve que largar seu estilo boneca e assumiu o papel de mulher como Valeska Popozuda, que só é desbocada - e puta, mas não há como confirmar se Billie não é isso macho desbocado. Ele não queria ser manipulado pela mídia, não queria ser um americano idiota, não qeuria uma nação sob a mídia...Bom, isso pode ser uma música que representa o antônimo de Green Day, visto que eles deixaram de ser punk seguindo a mídia virando uma banda pseudo-emo e pseudo-punk, vide, uma pseudo-banda. E, sim, a mente subliminar fode mesmo a América, americonos não percebem nada escrito em linhas sublimimares.

Não, não procure alguma dessas mensagens nesse parágrafo, bossal, não coloquei uma.

Welcome to a new kind of tension/ All across the alienation/ Where everything isn't meant to be ok// Television dreams of tomorrow/ We're not the ones meant to follow/ For that's enough to argue. Bom, esses versos aí indicam o que não só Billie, como também Tré Cool e Mike Dirnt pensaram para seguir na posição de playboy revoltadinho oposição à sociedade americana. Bom, o novo tipo de tensão baseado na alienação seria um novo hambúrguer do Mc Donald's em que Ronald McDonald seria o garoto propaganda. O sanduíche seria feito de bosta em forma de hambúrguer e sangue de vaca como um ketchup. Sim, realmente tenso.

Os sonhos criados pela TV que não seriam obrigados a seguir seria ser rico, famos e bonito. Como ninguém é obrigado a seguir, ninguém os segue. Mas a verdade é que todo mundo segue, mas como não conseguem fazer direito, dizem que não são obrigados a seguir modinhas. No caso do Green Day o sonho era ser igual ao The Clash, mas, como nunca conseguiu, nem chegar ao nível deles, muito menos dos Sex Pistols e nem de nenhuma outra banda punk de verdade (talvez o The Offspring...mas, espere, eles traíram o movimento também, não são punks), eles logo disseram que não eram obrigados a seguir esse sonho que eles não queriam atingir. Isso já seria uma boa razão pra se opor, até porque senão as gurias retardadas e guris retardados metidos à punk logo iam largar a banda e procurar outra coisa pseudo-punk pra gostar. Ou alguma modinha mesmo.


Depois vem a parte mais curiosa da música, vide: Well maybe I am the faggot America/ I'm not a part of a redneck agenda/ Now everybody do the propaganda!/ And sing along in the age of paranoia. Bom, Ele não estava fodendo a América, estava fodendo só os EUA, porra! Bom, mas, se o Billie Joe não faz parte de um grupinho ignorante, de que grupo eles faz parte? Bom, quando criança ele não fazia parte de grupo nenhum: se achava rockeiro demais para se enturmar. Acabava se enturmando com um outro rockeiro, de glam rock, o que talvez explique o fato de ele ser bissexual. Bom, agora vamos cantar igual retardados paranóicos essa música.

RepercussãoEditar

Ninguém sabe o porque, mas a música fez sucesso tremendo no Canadá, Reino Unido, Japão, França, Papua Nova-Guiné e até no Buraquistão, mas não fez nos EUA. Bom, nas paradas sua melhor posição foi a de 61ª música mais escutada, mas ainda sim está bem na frente daquela música melosa que você insiste em ouvir até hoje. Será que foi o título? Mas logo depois a população se tocou que isso nada mais era do que uma homenagem à inteligência do pessoal da área, vide, logo começou a cair no gosto do povo, até porque chegou a ir pra um American Pie da vida, outro filme que desparta o nível que QI de qualquer americano.

Canadian IdiotEditar

Em 2006, "Weird Al" Yankovic fez um "remake" de American Idiot, onde ofendia os canadenses, que eram muito trolls. Esta música felizmente consegiu ser melhor que a original.

LetrasEditar

 
Adivinha o fundo musical?

American Idiot
Don't wanna be an American idiot
Don't want a nation under the new midia
And can you hear the sound of hysteria?
The subliminal mind, fuck America

Welcome to a new kind of tension
All across the alienation
Where everything isn't meant to be ok
Television dreams of tomorrow
We're not the ones meant to follow
For that's enough to argue

Well maybe I am the faggot America
I'm not a part of a redneck agenda
Now everybody do the propaganda!
And sing along in the age of paranoia

Welcome to a new kind of tension
All across the alienation
Where everything isn't meant to be ok
Television dreams of tomorrow
We're not the ones who're meant to follow
For that's enough to argue

Don't want to be an American idiot
One nation controlled by the media
Information age of hysteria
Is callin' out the idiot America

Welcome to a new kind of tension
All across the alienation
Where everything isn't meant to be ok
Television dreams of tomorrow
We're not the ones who're meant to follow
For that's enough to argue

PortuguêsEditar

Americano Idiota

Não quero ser um americano idiota.
Não quero uma nação sob a nova mídia.
E você pode ouvir o som da histeria?
A mente subliminar, fode a América.

Bem-vindo a um novo tipo de tensão.
Baseado na alienação
Onde tudo não é feito para ser aprovado
Os sonhos criados pela televisão
Os quais não somos obrigados a seguir
Já nos dão razão suficiente para nos opor

Bem, talvez eu esteja fodendo a América.
Mas eu não sou parte de um grupinho ignorante
Agora todo mundo faz propaganda.
E canta junto feito um bando de paranóicos

Bem-vindo a um novo tipo de tensão.
Baseado na alienação
Onde tudo é feito para não ser certo
Os sonhos criados pela televisão
Os quais não somos obrigados a seguir
Já nos dão razão suficiente para nos opor

Não quero ser um americano idiota
De uma nação governada pela mídia.
Onde a informação é descontrolada
E a transforma numa América Idiota

Bem-vindo a um novo tipo de tensão.
Baseado na alienação
Onde tudo é feito para não dar certo
Os sonhos criados pela televisão
Os quais não somos obrigados a seguir
Já nos dão razão suficiente para nos opor