Abrir menu principal

Desciclopédia β

Agora É que São Elas

(Redirecionado de Agora é Que São Elas)
Boratnice.jpg Yackshmash! I like you, I like sex, it's nice! High five!
Borat está feliz porque você vai adicionar novas imagens a este artigo! Chenquieh!!!

Cquote1.png Você quis dizer: Cidade das Mulheres Cquote2.png
Google sobre Agora É que São Elas

Agora é Que São Elas foi uma novela das 18h escrita por Ricardo Linhares, uma tentativa de trazer o realismo fantástico para aquele horário, que não logrou sucesso. Substituiu Sabor da Paixão, e foi substituída por Chocolate com Pimenta, que eclipsou completamente sua antecessora.

Índice

SinopseEditar

A estória do prefeito Juca Tigre (Miguel Falabella) que comanda a cidade de Bocaiuvas, inimigo político de Antônia (Vera Fischer), que manda em São Francisco das Formigas, mais feminina.

EnredoEditar

Em 1900 e bolinha Antônia e Juca Tigre estavam prestes a se casar quando uma cartomante profetizou que o plano não ia se concretizar (como foi que adivinhou?), apesar da descrença do casal. No entanto, no infeliz dia do casamento, a vagabunda abandona o noivo no altar e vaza da cidade sem explicações carregando um segredo misterioso, deixando-o amargurado, humilhado e jurando vingança. Após 25 anos (lembrando que a novela passou em 2003) a vida dos dois tomaram rumos diferentes: Juca se tornou prefeito e o homem mais poderoso de Santana de Bocaiuvas, desviando geral para sua conta, casando com a fútil miss Vanvan (Marisa Orth) (relembrando os tempos do Sai de Baixo, por sinal) e passando para sua filha mais velha, Sol (Francisca Queiroz), sua mesma arrogância. Já Antônia retornou casada com Joaquim (Paulo Gorgulho) (Juca Tigre tomou um belo par de chifres!) e estabeleceu-se no distrito de Formigas, que prosperou no ramo têxtil com a cooperativa de couro liderada por mulheres. O local sofre com a falta de investimentos da prefeitura, como a ausência de coleta de lixo e de sistema de saúde, tudo parte do plano de Juca para se vingar da ex, deixando em calamidade o distrito que ela mora (o que mais se podia esperar de político brasileiro, não é?). O prefeito, porém, tem como sua pior inimiga Léo (Débora Falabella), filha de Antônia e a líder comunitária que luta pelas melhores condições de Formigas – sem saber que ele é seu pai.

Ela namorava Pedro (Maurício Duro de Mattar), um homem mais velho e objeto de desejo de Sol, mas seu destino muda radicalmente quando ela conhece Vitório (Paulo Vilhena), filho mais novo de Juca e que retorna a cidade após longos anos longe, desconhecendo toda rivalidade dos dois, vivendo com ela um grande amor. O romance dos dois, bem como a morte de Joaquim, acaba aproximando novamente Juca e Antônia, para desespero de Vanvan e de Rutinha (Maria Zilda Bethlem), que tivera um caso com Juca no passado e está de volta à cidade com o marido, Modesto (Otávio Augusto), que pretende concorrer às eleições. O filho do casal, Hugo (Max Fercondini), se apaixona por Elis (Sthefany Brito), porém tem que lidar com a rejeição da família por ela ser pobre e órfã (clichê). Djalminha (Márcio Kieling), namorado de sua irmã Nanda (Jerusa Franco) – mais uma trama sobre incesto, prometeu cuidar delas após a morte dos pais das garotas, porém ele se apaixona por Karina (Fernanda Paes Leme) e não sabe como lidar com a promessa que fez. A vida de Juca ainda muda com a chegada de Rodrigo (Thiago Gostoso), filho que ele teve fora do casamento e que o encontrou em busca de vingança.

Paralelamente, a trama segue outras histórias, mas que ninguém lembra e que eu não vou perder meu tempo aqui enchendo linguiça falando sobre. Enfim, toda uma novela que fracassou miseravelmente e que foi esquecida pelo povão.

Trilha sonoraEditar

  • Como a novela estava indo de mal a pior no IBOPE, foi lançada apenas um CD nacional, sem a trilha internacional. Acontece que ficaram com medinha que a trilha internacional encalhasse nas lojas, o que infelizmente aconteceu com Sabor da Paixão internacional, mas não com a nacional desta novela, que vendeu bem.
  • Capa: Paulo Vilhena como Vitório.
  1. Lágrimas Demais - Ritchie (Ritchie/Bernardo Vilhena) 3:43
  2. Já É - Lulu Santos (idem) 4:11 (tema de abertura)
  3. Meu Plano - Daniela Mercury (Lenine/Dudu Falcão) 3:32
  4. Pensando em Você - Paulinho Moska (idem) 3:04
  5. Justo Agora - Adriana Calcanhotto (idem) 3:43
  6. Eu Amo Você (versão do álbum "Velhos Camaradas 2", lançado em 2001) - Tim Maia (Cassiano/S. Rochael) 4:49
  7. Sugar - Marina Lima - part. esp.: Alvin L. (idem) 3:25
  8. Calígula Freejack - Toni Platão (Fausto Fawcett/Toni Platão/Dado Villa-Lobos) 3:33
  9. Casulo - Guilherme Arantes (idem) 4:16
  10. Balança - Marcelo D2 - part. esp.: João Donato (idem) 3:04
  11. Espelhos D'Água - Preta Gil (Dalto/Cláudio Rabello) 3:51
  12. Aqui, Ali, em Qualquer Lugar (Here, There and Everywhere) - Rita Lee (John Lennon/Paul McCartney - versão: Rita Lee) 2:30
  13. Canções de Rei - Max Viana (Max Viana/Dudu Falcão) 5:11
  14. Agora é Que São Elas (Essas Mulheres Fantásticas e Seus Rebentos Maravilhosos) - Lenine (Lenine/Dudu Falcão) 5:22
  15. Bossa Nova (instrumental) - Bossa Lounge (Tausz) 3:34
  16. Night Dance (instrumental) - Alpha Beat (Luiz Carlos "Meu Bom"/Rodrigo Ferraz) 3:05

Suposta trilha internacionalEditar

  • Estas seriam as músicas a entrar para o CD, caso o mesmo fosse lançado:
  1. Clocks - Coldplay
  2. For You - The Calling
  3. On the Orizon (sic) - Melanie C
  4. I Want You - Thalía feat. Fat Joe
  5. Stuck - Stacie Orrico
  6. Just a Bit of Chaos - SMS feat. REHB
  7. Designated Drunker - Alan Jackson
  8. Don't Dream it's Over - Sixpence None the Richer
  9. Secret Smile - Semisonic
  10. You are Everything - Michael McDonald
  11. Just the Way You Are - Diana Krall
  12. Here, There and Everywhere - Rita Lee
  13. Big Yellow Taxi (Traffic Jam mix) - Counting Crows feat. Vanessa Carlton
  14. Heart Without a Home (I'll Be Yours) - Nick Carter
  15. Quisiera Ser - Alejandro Sanz feat. Destiny's Child
  16. Overjoyed - Mary J. Blige

Tema de aberturaEditar

Sei lá
Tem dias que a gente olha pra si
E se pergunta se é mesmo isso aí
Que a gente achou que ia ser
Quando a gente crescer
E nossa história de repente ficou
Alguma coisa que alguém inventou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um déjà vu

Sei lá
Tem tanta coisa que a gente não diz
E se pergunta se anda feliz
Com o rumo que a vida tomou
No trabalho e no amor
Se a gente é dono do próprio nariz
Ou o espelho é que se transformou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um vis à vis

Por isso eu quero mais
Não dá pra ser depois
Do que ficou pra trás
Na hora que já é!