Abrir menu principal

Desciclopédia β

A queda da qualidade musical

Verdade.
Verdade.
Este artigo contém...

VERDADES!

(pelo menos foi o que a Veja disse)

Material verídico: Use com moderação.

Cquote1.png Você quis dizer: Sempre tem como piorar. Cquote2.png
Google sobre A queda da qualidade musical
Cquote1.png Pior que tá não fica Cquote2.png
Tiririca sobre a qualidade da música atual
Cquote1.png Enganei vocês Cquote2.png
Tiririca sobre o comentário acima

Como ser badass antigamente.
Fase de transição...
Atualidade...

Cquote1.png Eu amoooooooooooo voooooocêêêêêê... Cquote2.png
Chitãozinho e XororóTemas musicais clássicos
Cquote1.png Que mulher gostosa, toma no cu, então vem fumar maconha sentando no meu piru Cquote2.png
Temas culturais e críticos da comunidade atual


A queda da qualidade musical foi/é uma catástrofe cultural causada pelo aumento da tecnologia, que pode deixar qualquer pirralho retardado com voz de taquara rachada Whitney Houston. Assim permitindo garotas facilmente impressionáveis divulgarem e enchê-los de curtidas, desta forma obrigando as rádios e a mídia em geral mostrá-los ao público de gosto duvidoso.

Desde os anos 1500 2000, as músicas ficaram cada vez piores, ou, na verdade, a música mainstream ficando cada vez pior e chamativa (de um jeito ruim). Com toda a liberdade de expressão disponível, ficou mais fácil jogar seus clipes no youtube cheios de maconha e cu e de quebra ganhar uma boa grana com isso, assim contratando mais mulheres gostosas e mais maconha para seus clipes. Além é claro de pagar produtores e DJ's famosos para alavancarem tudo.

A queda da qualidade musical aconteceu também porque ninguém se interessa em levar mais de 15 minutos para escrever uma canção, pois hoje em dia o povão não tem mais noção de bom e ruim e ouve a primeira merda que aparecer, desde que a música seja famosa. Basta imaginar, se aquela música lixo que você ouve fosse desconhecida, ou não tivesse tanto cu exposto, será que você daria a mesma importância?

A qualidade das musicas é dada por suas letras estúpidas e providas de duplo-sentido em sua maioria. E essa queda promete superar o menino Ney, em um grande efeito dominó do caralho. Na atualidade basta fazer sua música se disfarçar de lacração e encher de bundas rebolando, dizendo o quanto a mulher é livre pra fazer o que quiser, mesmo sabendo que os únicos que admiram os clipes são garotos punheteiros de 14 anos, eis a estratégia, afinal eles representam 80% da internet.

Mas aí você pensa "bah mas em tempos de homestudio, com vários softwares pra edição e mídias de streaming, daria pra reverter a bagaça com música boa" é aí que você se engana, você pode até (depois de estudar e se foder por uns 5 anos) lançar suas músicas honestas no spotify, mas será engolido pela industria de cocô, que lança 1400 lixos diários na tentativa estatística de emplacar algum hit pra cada música boa sua.

Não é de hoje que a música virou mais um negócio do que uma expressão artística, e estes são os moldes do mercado atual:

  • Grande volume de músicas (e com obsolência programada), feitas por grupos de compositores apelando pra temas chamativos como chifre, lacração, putaria, etc, e polidas por engenheiros de som.
  • Muito jabá e marketing, pra manter o nome da marionete do artista em constante repetição no mainstream;
  • Muita disponibilidade pra show, geralmente fazem 20 por mês, faturando pra caralho e fudendo artistas locais (que são pagos com uma merreca pra compensar o prejuízo (ou tu acha que uma casa com 400 pessoas pagando R$30 de entrada e mais uns R$30 de consumação paga o cachê de um Munhoz e Mariano da vida?));
  • Como faturam pra caralho, usam a grana pra recomeçar o ciclo.
  • (Bônus pra dar uma alegria) Não satisfeitos, alguns otários do mainstream BR tentam "carreira internacional", uns por burrice outros por marketing, mas artista mainstream de 3º mundo acaba por se foder lá fora igual artista local se fode no Brasil.

Será que um dia a música volta a ser relevante?Editar

NÃO! Agora o povo pegou gosto pela merda e assim mantêm a máquina de produzir merda que é a industria musical atual, portanto irá ouvir merda pelo resto da vida, enquanto nós, que não gostamos disso, somos obrigados a aturar tudo isso, seja com aquele vizinho chato fazendo barulho, seja com o programa da Eliana, da Sabrina Chato ou o meu pau de óculos tocando essas merdas o dia todo, seja com as rádios que só sabem ganhar dinheiro tocar isso, ou seja em qualquer lugar, pois todo mundo ouve. Mas sempre pode piorar, tenha certeza disto, visto que os lixos publicitários programas televisivos sempre divulgam as novas "sensações" de vontade de vomitar e/ou morrer do momento.

Porra, e agora?Editar

Ah, sei lá, temos algumas alternativas:

  • Se juntar a eles: Fica a seu critério;
  • Sair por aí matando todo mundo: Não é uma má ideia, mas custa caro e dá cadeia;
  • Ficar surdo de propósito pra não ouvir mais isso: Nah...
  • Não fazer porra nenhuma e aguentar essa tortura: É o que estamos fazendo;
  • Virar K-popper ou sadboy que ouve trap com GIF's do Bart Sad de fundo: Isso é coisa de Baitola...